Comissão de Fiscalização

Elsa Judas e Trindade Barros expulsos de sócios do Sporting

Elsa Judas e Trindade Barros expulsos de sócios do Sporting

A Comissão de Fiscalização (CF) do Sporting expulsou Elsa Judas e Trindade Barros da condição de sócios do clube de Alvalade.

A revelação foi feita, esta sexta-feira, no mesmo comunicado da CF onde é recomendada a expulsão de Bruno de Carvalho.

Elsa Judas e Trindade Barros foram chamados por Bruno de Carvalho em plena crise do clube, quando o antigo presidente, destituído em Assembleia Geral (AG) em 23 de junho, criou uma Comissão Transitória da Mesa da AG (CTMAG).

"Uma nota de culpa foi emitida contra os participantes nesses órgãos fictícios, tendo a CF [Comissão de Fiscalização] votado a expulsão do clube desses dois membros que, como especialistas em Direito, não podiam desconhecer o dolo, o dano e o prejuízo que causaram ao clube e a confusão e perplexidade criada aos seus sócios. Para tanto, militou também o facto de, à data da assunção de funções, não terem as suas quotas regularizadas", refere hoje a CF em comunicado.

Esta punição da CF segue-se a uma decisão anterior deste mesmo órgão, de 02 de agosto, na qual suspendeu o ex-presidente Bruno de Carvalho por um ano e os restantes membros do Conselho Diretivo, com exceção de Luís Roque, por dez meses.

"Os factos que levaram a tais medidas, além de outros aspetos, têm como fundamento a criação de forma abusiva por aquele Conselho de órgãos não previstos estatutariamente. Esses órgãos baseavam-se em pareceres jurídicos sem fundamento elaborados por aquela que viria a ser a presidente da chamada CTMAG, Elsa Judas, no que foi coadjuvada por outro jurista e professor de leis, Trindade Barros", refere a CF do Sporting.

O órgão diz ainda que foi enviada uma outra nota de culpa aos ex-membros do Conselho Diretivo, visando o comportamento destes durante e nos tempos subsequentes à AG de 23 de junho, mas que o CF não poderá terminar este processo.

"Não pode por razões de tempo este CF terminar o processo, vendo-se obrigado, tal como fará a outros, a deixar as decisões no Conselho Fiscal e Disciplinar a ser eleito amanhã [sábado], confiando que os superiores interesses do Sporting Clube de Portugal serão sempre o farol daqueles que o vierem a compor (quaisquer que sejam os vencedores)", refere a Comissão de Fiscalização, na véspera das eleições para a presidência do clube.

Ainda assim, o órgão deixa a recomendação de expulsão de Bruno de Carvalho e Alexandre Godinho, "tendo em conta as continuadas violações regulamentares e estatutárias, a instabilidade criada com factos falsos e os ataques constantes aos órgãos sociais legítimos" do Sporting.

No sábado, os sócios do Sporting elegem o 43.º presidente do clube, entre seis candidatos que procuram suceder a Bruno de Carvalho, o primeiro a ser destituído em 112 anos de história e que já ameaçou impugnar as eleições.

João Benedito (lista A), José Maria Ricciardi (B), Frederico Varandas (D), Rui Jorge Rego (E), José Dias Ferreira (F) e Fernando Tavares Pereira (G) são os seis pretendentes que se mantiveram até ao fim na corrida, após a desistência de Pedro Madeira Rodrigues (C), derrotado por Bruno de Carvalho em 2017, que se tornou apoiante de Ricciardi.

ver mais vídeos