Futebol

Escândalo sexual abala seleção da Nicarágua

Escândalo sexual abala seleção da Nicarágua

Utilizados na derrota de Nicarágua frente à Costa Rica, por 4-0, na primeira jornada do Grupo B, os médios Marlon López e Carlos Montenegro e o avançado Carlos Chavarria foram expulsos da concentração da seleção nicaraguana devido a um escândalo sexual.

Os três jogadores foram apanhados em quartos do hotel, onde estavam hospedados, com prostitutas, após a goleada sofrida com a Costa Rica, e o selecionador Henry Duarte foi quem contou todos os pormenores de uma madrugada atribulada que tornou a Nicarágua o principal polo de atração da Gold Cup fora das quatro linhas.

"À uma hora da manhã, a segurança do hotel acordou-me e mostrou-me um vídeo de alguns jogadores a entrar nuns quartos diferentes. Dava para ver o equipamento, não conseguia distinguir quem era, mas os seguranças sabiam que eram o Carlos Chavarria, o Carlos Montenegro e o Marlon López", contou o selecionador da Nicarágua. "Fomos a um quarto e ouvimos uns barulhos. Batemos à porta e apareceu uma das raparigas a dizer que não havia nada ali, que estava numa festa com umas amigas. Não acreditei, entrei com os seguranças e estavam lá dois jogadores. Disse-lhes para arrumarem as coisas e que se fossem embora, pois estavam fora da concentração e da Gold Cup. Depois fui a outro quarto. Apareceu uma rapariga a sair do duche. Eram duas horas, estava a tomar banho e o Marlon López também. Disse-lhe que podia ficar descansado, que podia continuar a festa e quando terminasse que arrumasse as coisas e fosse para casa", acrescentou.

Henry Duarte diz-se "enganado" pelo trio, contando agora com menos três opções para os jogos da segunda e terceira jornadas do grupo B, da Gold Cup frente a Haiti e Bermudas, respetivamente.

México no centro das atenções antes do Mundial 2018

O episódio da seleção da Nicarágua está longe de ser caso único antes ou durante competições internacionais. Por exemplo, no ano passado, o estágio da equipa do México, na Dinamarca, para o Mundial 2018 ficou marcado por uma festa que envolveu vários jogadores e acompanhantes de luxo. Na altura, os futebolistas não foram punidos.

"Sempre soubemos desse encontro, além disso era tempo livre", comentou Juan Carlos Osorio, na altura selecionador do México. Também esta década, em 2013, durante a Taça das Confederações no Brasil, a imprensa brasileira escreveu que cinco jogadores espanhóis passaram a noite com acompanhantes de luxo, sendo Piqué um deles. No entanto, as acusações foram negadas.