Apoio às claques

F. C. Porto acusa Benfica de beneficiar de regime de exceção

F. C. Porto acusa Benfica de beneficiar de regime de exceção

O diretor de comunicação e informação dos dragões, Francisco J. Marques, afirmou, esta terça-feira, que a SAD benfiquista dá apoio aos No Name Boys, apesar de a claque em causa não estar regularizada.

"O Benfica diz que não apoia os No Name Boys e, por isso, não pode ser responsabilizado por algo que esses adeptos façam. No entanto, para o Feirense-Benfica foram alugadas quatro carrinhas na Europcar para quatro elementos da claque e essas mesmas carrinhas foram pagas em dinheiro conforme estava acordado com o Benfica, segundo nos relataram", afirmou Francisco J. Marques.

O diretor de comunicação portista lembrou que a legislação prevê jogos à porta fechada para os clubes que apoiem grupos de adeptos não legalizados e acusou: "O Benfica goza de um regime de exceção no país. Os membros mais perigosos dessa claque não estão identificados e, se o Benfica os apoia, que jogue à porta fechada".

"Não queremos que o clássico [Benfica-F. C. Porto de 1 de abril] seja à porta fechada. É normal que o Benfica apoie os No Name, mas que eles sejam legalizados", apelou Francisco J. Marques, que também abordou a classificação dos árbitros, revelando um encontro.

"Na noite da Juventus-F. C. Porto, Paulo Gonçalves [assessor jurídico do Benfica] jantou, na Mealhada, com Ferreira Nunes [ex-responsável pela classificação dos árbitros] e voltaram a estar juntos no camarote do Benfica em Paços de Ferreira. O Benfica parece que está a tentar que o tempo volte para trás", afirmou.

O diretor de comunicação criticou, ainda, a forma como o treinador do Benfica, Rui Vitória, se dirigiu ao árbitro no final do jogo em Paços de Ferreira. "Sempre que ganha, não vai protestar e nos jogos europeus não faz isto. Este procedimento tem de acabar, porque serve para obter vantagem futura", acusou.

Franciscio J. Marques abordou, ainda, o suposto antijogo feito pelo V. Setúbal no Dragão, apelidando a atitude dos jogadores sadinos de "vigarice".