Futebol

F. C. Porto e Benfica ao ataque e com Rui Moreira pelo meio

F. C. Porto e Benfica ao ataque e com Rui Moreira pelo meio

Dragões apontam o dedo à arbitragem em Vila do Conde, onde o Benfica ganhou, enquanto as águias criticam a mudança de estratégia do F. C. Porto e acusam o presidente da câmara do Porto de estar "ao nível de um líder de claques".

O F. C. Porto e o Benfica estiveram ao ataque nas newsletters diárias, no rescaldo do fim de semana futebolístico. O F. C. Porto lembra a arbitragem de Hugo Miguel em Vila do Conde, onde os encarnados venceram, e lança a pergunta: "Quem irá apitar a final da Taça de Portugal? O árbitro que não viu este penálti claro que podia ter dado o 1-1 ao Rio Ave, mesmo antes do 2-0 em fora de jogo do Benfica, ou o videoárbitro que com acesso a tantas imagens não conseguiu ver falta nenhuma e um fora de jogo tão evidente? É que depois do que aconteceu no Dragão, em Moreira de Cónegos, na Feira e em Braga, há que premiar quem mantém a tendência de beneficiar o Benfica em todos os jogos disputados longe da Luz".

No entanto, as águias também acentuaram o tom crítico e recordam a postura dos dragões antes da liderança do campeonato ter mudado de mãos: "Enquanto o F. C. Porto esteve na liderança ninguém ouviu a mais suave crítica por parte daquele clube às arbitragens que todos os comentadores e analistas independentes reconheciam estar a ter influência direta na classificação. A partir da noite em que o Benfica foi vencer ao Dragão (da forma mais limpa e justa possível!) e passou para a liderança do campeonato assistimos, de imediato, a uma mudança radical de estratégia", pode ler-se na newsletter diária.

O Benfica também não poupou Rui Moreira, presidente da câmara municipal do Porto, que utilizou a sua conta pessoal no Facebook para comentar a arbitragem do Rio Ave-Benfica. "El Guito acaba de ser eleito o melhor jogador da Liga", escreveu o autarca, o que lhe valeu uma crítica: "É nesse contexto que se deve ler a intervenção de Rui Moreira: menoriza-o enquanto político, ridiculariza-o enquanto presidente da câmara e coloca-o ao nível de um líder de claques".