Futebol

F. C. Porto responde ao Benfica: "Divirtam-se a chafurdar na lama que criaram"

F. C. Porto responde ao Benfica: "Divirtam-se a chafurdar na lama que criaram"

O F. C. Porto reagiu, esta segunda-feira, às críticas apontadas pelo Benfica à arbitragem do jogo entre dragões e S. C. Braga, publicadas através do boletim "News Benfica", neste domingo.

O F. C. Porto já respondeu às críticas do Benfica à arbitragem do jogo entre dragões e Braga, do passado sábado, a contar para a 27.ª jornada da Liga.

"Pela primeira vez, o Benfica emitiu a um domingo uma edição especial da imitação fraca do Dragões Diário, que habitualmente só é publicada de segunda a sexta. Percebe-se bem o objetivo: hoje [segunda-feira] é 1 de abril, conhecido como o dia das mentiras. O texto de ontem [domingo], se fosse publicado hoje pelo Benfica, seria encarado por todos como uma mera mentira de 1 de abril. Mas nem o facto de ter sido tornado público a 31 de março o torna menos mentiroso", pode ler-se na publicação Dragões Diário.

"Exige-se decoro a quem há bem pouco tempo ganhou campeonatos de forma vergonhosa, a quem tem 163 jogos sob investigação, a quem é investigado por suspeitas de corrupção de equipas de arbitragem, de jogadores adversários, de funcionários judiciais e de juízes, a quem é suspeito de vários outros crimes. Divirtam-se a chafurdar na lama que criaram e em que vivem, mas abstenham-se de atirá-la para cima de quem gosta de ganhar no campo e com todo o mérito, como aquele que o F. C. Porto tem exibido recorrentemente na Europa", referem os azuis e brancos.

Publicação na íntegra:

Pela primeira vez, o Benfica emitiu a um domingo uma edição especial da imitação fraca do Dragões Diário, que habitualmente só é publicada de segunda a sexta. Percebe-se bem o objetivo: hoje é 1 de abril, conhecido como o dia das mentiras. O texto de ontem, se fosse publicado hoje pelo Benfica, seria encarado por todos como uma mera mentira de 1 de abril. Mas nem o facto de ter sido tornado público a 31 de março o torna menos mentiroso.

A edição especial da News Benfica teve como propósito a crítica à arbitragem do Sporting de Braga-F.C Porto. Em concreto, o Benfica queixa-se (i) do primeiro penálti assinalado a favor do FC Porto, (ii) da expulsão de Abel Ferreira e (iii) de um suposto penálti cometido por Corona sobre Wilson Eduardo, perto do fim. Sobre os casos concretos, poder-se-á dizer o seguinte:

(i) os seis especialistas de arbitragem que escrevem nos três jornais desportivos consideraram o penálti bem assinalado;

(ii) o FC Porto não tem qualquer toupeira que permita conhecer as palavras que justificaram a expulsão de Abel Ferreira, por isso não se pode pronunciar sobre esse caso;

(iii) cinco dos seis especialistas de arbitragem que escrevem nos três jornais desportivos consideraram a decisão do árbitro correta.

O que é grave, contudo, não é o exercício de crítica do Benfica sobre os lances. Não concordamos com os argumentos, os especialistas em arbitragem também não, mas a crítica é livre e mesmo as análises mais originais e exóticas do jubilado António Rola têm lugar num espaço mediático de discussão que se quer pautado pela liberdade - que essas análises não tenham adesão à realidade, é um problema de quem as profere constatado por quem se confronta com elas.

O que é grave, dizíamos, é que o Benfica considera que houve erros de arbitragem com impacto no resultado e que esses alegados erros foram premeditados. O Benfica diz claramente que aqueles lances seriam decididos de forma diferente se tivessem ocorrido nas áreas contrárias, acusando assim o árbitro Jorge Sousa de ter tomado decisões com o objetivo deliberado de beneficiar uma equipa e prejudicar outra.

Acrescenta o Benfica que o FC Porto tem beneficiado de diversos erros de arbitragem ao longo desta temporada e que só por isso está a discutir este título, insinuando que existe uma conspiração entre os árbitros para fazer do FC Porto campeão. Esta imputação não só é falsa como menoriza o mérito da nossa equipa. Uma equipa que, recorde-se, é uma das oito melhores da Europa e a única representante de Portugal na competição mais difícil do mundo, em que o Benfica ultimamente só se destaca pelos piores motivos.

O que o Benfica fez ontem na News Benfica não é novo. Ainda ninguém se esqueceu do ataque de Luís Filipe Vieira a Fábio Veríssimo em Braga, há algumas semanas. O objetivo é sempre o mesmo: "garantir uma inqualificável pressão e condicionamento sobre todos os agentes desportivos e equipas de arbitragem em particular!" As palavras são da newsletter encarnada e são dirigidas ao FC Porto, mas assentam que nem uma luva ao Benfica.

Este 1 de abril antecipado do Benfica, se não dissesse respeito a coisas sérias, até podia ser encarado com piada. Mas não pode ser. O Benfica não se pode dar ao luxo de proferir estas piadas de mau gosto. Exige-se decoro a quem há bem pouco tempo ganhou campeonatos de forma vergonhosa, a quem tem 163 jogos sob investigação, a quem é investigado por suspeitas de corrupção de equipas de arbitragem, de jogadores adversários, de funcionários judiciais e de juízes, a quem é suspeito de vários outros crimes. Divirtam-se a chafurdar na lama que criaram e em que vivem, mas abstenham-se de atirá-la para cima de quem gosta de ganhar no campo e com todo o mérito, como aquele que o FC Porto tem exibido recorrentemente na Europa.