Diferendo

Fisco espanhol devolve dois milhões de euros a Cristiano Ronaldo

Fisco espanhol devolve dois milhões de euros a Cristiano Ronaldo

A Autoridade Tributária espanhola devolveu 2,1 milhões de euros a Cristiano Ronaldo. Em causa, um erro no cálculo do IVA.

O Fisco espanhol concluiu que o futebolista português não tinha obrigação legal de pagar em Espanha o IVA correspondente ao montante auferido em direitos de imagem do contrato feito com o empresário Peter Lim.

Assim, adianta o jornal espanhol "El Mundo", aos 18,8 milhões de euros que terá de desembolsar para sanar o diferendo com o Fisco espanhol, Cristiano Ronaldo serão retirados 2,1 milhões do IVA, reduzindo a "fatura" para 16,67 milhões de euros.

Segundo a Autoridade Tributária, Cristiano Ronaldo cedeu, em 2014, os direitos de imagem em Espanha às sociedades Arnel Services, S.A, e Adifore Finance, LTD, radicadas nas Ilhas Virgens Britânicas e propriedade, através da Mint Media, do empresário Peter Lim, proprietário do Valência.

Esta operação, que visiva potenciar a imagens de CR7 na Ásia, "não está sujeita ao IVA [em Espanha] por tratar-se de prestação de serviços fora do território da aplicação do imposto", adianta aquele periódico.

O "El Mundo" teve acesso à liquidação efetuada por CR7 junto do Fisco espanhol, que pagou 13,4 milhões de euros há uns dias, comprometendo-se a liquidar o remanescente nos próximos dias. Com este acerto de contas, Cristiano Ronaldo terá de desembolsar agora, "apenas" mais 3,3 milhões de euros, para acertar contas com a Fazenda de Espanha.

Contas feitas, ficará apenas a faltar uma visita à Audiência Provincial de Madrid para formalizar o acordo. Na audição, Cristiano Ronaldo deverá declarar-se culpado de quatro delitos fiscais e aceitará uma pena de prisão de dois anos, que será suspensa e, eventualmente, substituída por uma multa de 350 mil euros.

ver mais vídeos