Futebol

Francisco J. Marques acusa Benfica de tentar influenciar eleições

Francisco J. Marques acusa Benfica de tentar influenciar eleições

No programa "Universo Porto da bancada" do Porto Canal desta quinta-feira, o diretor de comunicação dos dragões acusou o Benfica de uma eventual intervenção na campanha em Oeiras.

Em causa, está uma cerimónia realizada a 23 de setembro tendo em vista a construção da futura Cidade das Modalidades, que contou com a presença de Luís Filipe Vieira, e ainda de Paulo Vistas, presidente da Câmara de Oeiras e candidato às eleições de 1 de outubro.

O diretor de comunicação do F. C. Porto revelou ter dois pareceres que comprovam que a obra não é possível: "Um de 6 de junho e outro de 13 de setembro de 2017, ambos assinados por Paulo Vistas, presidente da Câmara (...) que dizem que não se pode fazer a cidade das modalidades ali, porque faz parte da Reserva Ecológica Nacional e interfere com um monumento nacional que é o Aqueduto das Águias Livres."

Estes pareceres são assinados por uma arquiteta da Câmara Municipal de Oeiras e remetidos ao Benfica, explica J. Marques.

"A única forma de isto poder existir é com uma intervenção do Governo. A Câmara não tem poder para construir em Reserva Ecológica Nacional. Foi assinado um acordo em papel molhado, ou seja, não aconteceu nada. Foi uma interferência nas eleições de Oeiras. O Benfica resolveu ajudar o candidato, porventura à espera de contrapartidas. O Benfica está sempre metido em trapalhadas. Estão a enganar os benfiquistas com cerimónia de coisas que não existe", explicou.

Contactado pelo JN, o chefe de gabinete de Paulo Vistas, Nuno Costa, confirmou que os terrenos em causa ainda não podem receber o equipamento desportivo, uma vez que é necessário alterar o Plano de Pormenor que, desde 1985, tem previsto a construção de um parque de campismo para o local. Nuno Costa referiu, ainda, que a Câmara já deu início ao processo de alteração do Plano de Pormenor em causa.

ver mais vídeos