Futebol

Francisco J. Marques: "Alguns árbitros decidiram entregar o título ao Benfica"

Francisco J. Marques: "Alguns árbitros decidiram entregar o título ao Benfica"

Francisco J. Marques, diretor de comunicação do F. C. Porto, faz duras críticas à arbitragem nos jogos do Benfica em Santa Maria da Feira, Braga e Vila do Conde.

"A entrevista de Pinto da Costa [ao jornal "O Jogo"] presta a justa indignação pela final do campeonato. Alguns árbitros decidiram entregar o título ao Benfica. Chamam-se João Pinheiro, Tiago Martins, Bruno Esteves, Luís Godinho, Bruno Paixão, Hugo Miguel... são os árbitros das três saídas do Benfica. Nas três saídas - em Santa Maria da Feira, Braga e Vila do Conde - houve nove lances polémicos. Na dúvida, foram todos decididos a favor do Benfica. Não há, nestes três jogos, um lance de dúvida que tenha sido em desfavor do Benfica.", atirou Francisco J. Marques no programa "Universo Porto da Bancada" desta terça-feira, considerando que a classificação foi "adulterada" depois de recordar alguns lances de jogos do Benfica.

"Chegámos ao jogo de Vila do Conde. Há um lance na área do Benfica que não é assinalado e no contra ataque há um golo que é decidido a favor do Benfica. Não há uma decisão contra o Benfica. Quem são os autores, os responsáveis por estas decisões que adulteram a verdade do campeonato? São os árbitros. E quem os nomeou. Todos estes árbitros têm um passado e esse é pró-Benfica. Quando decidem nomear estes árbitros estão a ajoelhar-se perante o Luís Filipe Vieira por causa do que foi dito na meia-final da Taça da Liga. Há um antes e depois. O Conselho de Arbitragem interveio? Sim, senhor. Os árbitros intervieram? Sim, senhor. E foram decisivos. Nos 18 jogos perdeu 13 pontos, nos 15 jogos seguintes perdeu dois. Jogavam bem? Com certeza que há uma parte que sim, mas há outra que não", continuou, considerando o jogo em Vila do Conde "uma vergonha".

"Em Vila do Conde, ou estes senhores não sabem as regras ou validaram o golo de propósito. Se foi de propósito, a justiça tem de atuar e terão de ser julgados e condenados. Se não fizeram, não podem ser árbitros. Não é um lance de dúvida. O que aconteceu na ponta final do campeonato? O F. C. Porto foi muito prejudicado em Vila do Conde com dois penáltis muito evidentes. A mão não marcada em Vila do Conde é bem mais evidente que a marcada em Braga no mesmo fim de semana. Andamos a brincar? Há uma equipa que tem um regime de exceção. Este jogo em Vila do Conde foi uma vergonha. Nestes lances e nestes jogos o grande prejudicado foi o F. C. Porto. Estes prejuízo são sempre contra o mesmo. Isto é uma vigarice inaceitável", concluiu.