Futebol

Francisco J. Marques critica perda de tempo no Paços - F.C. Porto

Francisco J. Marques critica perda de tempo no Paços - F.C. Porto

No programa "Universo Porto da Bancada" desta terça-feira, o diretor de comunicação do F. C. Porto deixou críticas à perda de tempo no jogo entre o Paços de Ferreira e a equipa azul e branca, na Capital do Móvel.

"É uma questão cultural. Todos nós já vimos que, na final da liga dos Campeões, todos os segundos contam. É perfeitamente normal. Outra coisa é a estratégia de mal o jogo começa, começar a perder tempo. É verdade que existe a complacência do árbitro. Não adianta nada mostrar cartão amarelo ao guarda-redes nos descontos, só dá ainda mais perda de tempo. É um problema cultural do futebol português", começou por dizer Francisco J. Marques.

O diretor de comunicação vincou ainda que o campeonato português não ganha tanta visibilidade graças a estes casos.

"A FIFA tem como objetivo que se chegue à hora de jogo. A liga italiana, com 57 minutos, é a que está mais perto. Portugal tem média de 49 minutos. Este jogo ficou muito abaixo dessa média, é estar muito longe do objetivo da hora de jogo e abaixo da média de Portugal. O jogo é concluído depois de dois minutos de interrupção, o que é estranho. Os árbitros em Portugal precisam de rever a condescendência com que olham para as perdas de tempos. Só se vai resolver quando houver coragem de expulsar o jogador que desde início está a perder tempo".

Francisco J. Marques deixou ainda críticas a Mário Felgueiras, guarda-redes do Paços de Ferreira.

"No final do jogo, ele pediu respeito pelo trabalho. Quem teve desrespeito pelo espetáculo de futebol e pelas pessoas que pagam foi ele, que simulou a lesão para perder tempo, um desrespeito pelos adeptos de futebol. Compreende-se que a equipa que está a ganhar use o relógio a favor, mas não se compreende a simulação de lesões, que o árbitro não haja contra essas perdas de tempo".

ver mais vídeos