Futebol

Francisco J. Marques: "Pedro Guerra mente descaradamente"

Francisco J. Marques: "Pedro Guerra mente descaradamente"

No programa "Universo Porto da Bancada", o diretor de comunicação dos dragões analisou as declarações de Pedro Guerra à TVI 24 e garante que o ex-diretor de conteúdos da BTV tinha uma função no clube da Luz que nunca foi revelada.

"Assistimos na TVI 24 ao autossacrifício de Pedro Guerra ilibar Luís Filipe Vieira. Não é verdade. Nós, em devido tempo, quando revelamos a correspondência de Pedro Guerra e Adão Mendes, a dada altura Pedro Guerra escreve: sei que o nosso primeiro-ministro quer que seja esta a postura. E se é esta a estratégia que ele quer seguir, não há muito a dizer nem temos muito que nos queixar", começou por afirmar Francisco J. Marques.

O diretor de comunicação dos dragões analisou ainda as declarações, onde o ex-diretor de conteúdos da BTV admitiu que conversava com árbitros no fim dos jogos.

"O Pedro Guerra continua a mentir. Há uns meses dizia que os emails não existiam, mas agora já vem dizer que conversava com os ex-árbitros após os jogos e que conversava por telemóvel. Todos nós percebemos por que ele diz isso, o telemóvel seria confiscado. Ele já está a tentar arranjar uma explicação para isso. O importante é ficar bem claro que é mentira, apesar do esforço, que é de salientar, de ilibar Luís Filipe Vieira. O que ele disse ontem não é coerente com o que ele escreveu em 2014 a Adão Mendes", explicou.

Francisco J. Marques garantiu ainda que Pedro Guerra tinha mais funções no Benfica e não apenas de comentador da BTV.

"Mente descaradamente quando diz que a ligação dele ao Benfica era de simples comentador. Todos nós sabemos que não é verdade. Mas a partir do momento em que começámos a revelar algumas das trapalhadas em que o Benfica se meteu, conclui-se que ele faz parte de algo importante no Benfica, relativamente a nível desportivo. Emitiu do dia 2/9/2013 um recibo ao Sport Lisboa e Benfica, não foi à BTV nem a outra coisa. No mesmo dia, emitiu um outro recibo verde à BTV. Ou seja, tinha um salário da BTV, presume-se das coisas que lá fazia, mas depois tinha outro salário do Benfica e aí presumimos que sejam com as coisas relacionadas com o Adão Mendes e outros".

"Há um longo período em que o Pedro Guerra trabalhou para a BTV e para o Benfica. Como é que uma pessoa tem a lata de dizer que era um simples comentador da BTV? Mesmo antes de ser diretor de conteúdos, ele tinha outras funções. Ele tinha outa atividade que nunca revelou publicamente no Benfica. Não vamos revelar o valor, mas ele passava sempre dois recibos. Parece-me evidente que o que ele fazia pelo Benfica, ele não queria que se soubesse", concluiu.

"Paulo Gonçalves foi constituído arguido porque é suspeito"

Francisco J. Marques comentou também as buscas ao Estádio da Luz e e salientou que diz a verdade quanto ao email de Rui Gomes da Silva.

"O Paulo Gonçalves não foi constituído arguido por ser advogado. Foi constituído arguido porque é suspeito. Não se vai fazer buscas quando não se é suspeito. Se ele não é o maior, é dos maiores suspeitos, ele tinha uma interferência muito grande em todas estas coisas. As buscas que foram feitas na semana passada ao Estádio da Luz e às residências de pessoas relacionadas com o Benfica foram suspeitas por corrupção ativa e passiva. Não fomos nós que o dissemos. Há aqui uma suspeita de corrupção desportiva".

"Confio na investigação. Vamos ter de esperar, mas os factos que aqui revelamos deixam a entender que há um conjunto de práticas repetidas que não são normais e que levaram um juiz a autorizar buscas. Quando o Benfica deu as boas vindas à investigação foi uma artimanha comunicacional", continuou.

Relativamente a Rui Gomes da Silva, o diretor de comunicação dos dragões foi categórico:

"O email que revelamos é verdadeiro. Se não fosse verdadeiro, o Rui Gomes da Silva punha-nos um processo, mas não vai pôr porque nós falamos a verdade. Quando não quer reconhecer que falamos a verdade, não quer responder, como é o caso", concluiu.