Futebol

Francisco J. Marques reage ao castigo com duas perguntas e uma canção

Francisco J. Marques reage ao castigo com duas perguntas e uma canção

O diretor de Comunicação do F. C. Porto, Francisco J. Marques, reagiu ao castigo de 44 dias com uma música popular italiana e duas perguntas.

"Criticar árbitros com erros grosseiros dá 44 dias de suspensão. E baixar a avaliação? E vasculhar as SMS do presidente da FPF? E..." escreveu Francisco J. Marques na conta pessoal no Twitter, cerca da meia-noite de terça-feira.

Suspenso por 44 dias pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, por declarações ao Dragões Diário, em 25 e 27 de fevereiro, Francisco J. Marques voltou ao Twitter cerca de 30 minutos depois do primeiro comentário, com uma canção italiana, Bella Ciao.

"Pelo direito à opinião, pela verdade, pela liberdade e contra as mordaças", escreveu, ao colocar online a versão original daquela canção, que se acredita ter sido um canto de trabalho das trabalhadoras rurais de Itália, no fim do século XIX.

A melodia foi a base de uma canção de protesto contra a Primeira Guerra Mundial, lê-se na Wikipedia, e depois símbolo da Resistência italiana ao fascismo e ao nazismo, durante a Segunda Guerra Mundial.

Além dos 44 dias de suspensão, o diretor de comunicação portista também terá de pagar uma multa de 2869 euros e a SAD do clube não se escapa igualmente à multa, que ascende a 7650 euros.

Em causa estão, de acordo com o comunicado, declarações proferidas na "newsletter" Dragões Diário, e relativas a arbitragem de jogos que envolveram Benfica e F. C. Porto.

Sobre o Benfica-Desportivo de Chaves foi escrito, nomeadamente, que "ontem, na Luz, o Ferrari vermelho fez 'pndant' com o Benfica, o que nem aos mais distraídos surpreende - estava lá mesmo para isso, para fazer 'pendant'".

Em 27 de fevereiro, o motivo das declarações é o Boavista-F. C. Porto e a arbitragem de Fábio Veríssimo: "Só quem não quiser ver é que pode fingir que estas arbitragens não acontecem devido à coação grave e reiterada que é diariamente exercida direta e indiretamente pelo Benfica."

O CD da Federação considera que as declarações violaram o artigo 136 do Regulamento Disciplinar sobre "lesão da honra e reputação e denúncia caluniosa".