Luís Figo

Governo apoia condidatura de Figo à FIFA

Governo apoia condidatura de Figo à FIFA

A candidatura de Luís Figo à presidência da FIFA tem todo o apoio do Governo português, afirmou, esta quinta-feira, o ministro Marques Guedes, considerando que o antigo futebolista português tem prestígio, qualidade e competência na área do desporto.

"A posição do Governo sobre essa candidatura é óbvia. A ocupação por parte de portugueses, e portugueses com o prestígio, com a qualidade e a competência que, obviamente, também todos reconhecemos na área do desporto ao Luís Figo, é algo que será sempre apoiado, de acordo com os seus meios, pelo Governo de Portugal", afirmou o ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, em conferência de imprensa, no final do Conselho de Ministros.

Luís Marques Guedes referiu ter transmitido esta mesma posição a Luís Figo, por quem disse ter sido pessoalmente contactado antes do anúncio público da sua candidatura à presidência da Federação Internacional de Futebol (FIFA), e ao presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes, adiantando que este falou também deste assunto com o primeiro-ministro.

"Será uma honra para o nosso país poder ter Luís Figo à frente da presidência da FIFA, se for esse o resultado bem-sucedido da sua candidatura", considerou.

Ressalvando que a Federação Internacional de Futebol "não é uma entidade institucional, é uma entidade privada" e que está em causa "uma campanha a nível mundial", o ministro reiterou que Luís Figo pode contar "com todo o apoio" do executivo PSD/CDS-PP.

"Para nós, quer para o desporto português, quer em particular para o futebol português, seguramente que seria uma honra muito grande poder ter alguém com o prestígio do Luís Figo à frente dos destinos daquele que é o desporto rei hoje em dia", reforçou Marques Guedes.

Luís Figo, de 42 anos, é o sexto candidato à presidência do organismo que rege o futebol mundial, tendo como concorrentes Joseph Blatter, atual presidente, Michael van Praag, presidente da federação holandesa, David Ginola, ex-jogador francês, Jerome Champagne, candidato independente francês, e o príncipe Ali bin Al Hussein da Jordânia, vice-presidente da FIFA.

As eleições para a presidência da FIFA, cujo prazo de candidatura termina esta quinta-feira, realizam-se a 29 de maio, no segundo de dois dias do congresso desta organização, em Zurique, na Suíça.