Sporting

Jaime Marta Soares: "Foi um ato eleitoral incomparável"

Jaime Marta Soares: "Foi um ato eleitoral incomparável"

O presidente da Mesa da Assembleia Geral fez um balanço eleitoral, após o encerramento das urnas, considerando que a votação decorreu sem qualquer problema e num clima de paz.

"Foi um ato eleitoral incomparável em qualquer clube desportivo ou mesmo na vida social e pública do nosso país. Não houve um único conflito ou azedume entre associados, nem alterações de voz entre os 20 mil sócios que passaram aqui. O país estava na expectativa e gostariam de saber o que se estava a passar. Repito então, foi um ato eleitoral inexcedível, se calhar incomparável em qualquer clube desportivo e uma lição de democracia em qualquer ato", começou por dizer Jaime Marta Soares.

O presidente da Mesa da Assembleia Geral revelou ainda o número de votantes. Um número histórico para o clube de Alvalade. "Atingimos a maior votação de sempre em todas as eleições do Sporting; em 2017 tivemos 18.661; na AG de 23 de junho, estiveram 15.040 sócios. Hoje só os que votaram presencialmente foram até agora 19.159 eleitores. Recebemos 5100 por correspondência mas já excluídos os que não estão em condições são válidos 3.351. Portanto, dá 22.510 sócios. Um dia histórico", concluiu.

As urnas para eleger o 43.º presidente do Sporting encerraram às 19 horas.

João Benedito (lista A), José Maria Ricciardi (B), Frederico Varandas (D), Rui Jorge Rego (E), José Dias Ferreira (F) e Fernando Tavares Pereira (G) são os seis pretendentes que se mantiveram até ao fim na corrida, após a desistência de Pedro Madeira Rodrigues (C), derrotado por Bruno de Carvalho em 2017, que se tornou apoiante de Ricciardi.

ver mais vídeos