US Open

João Sousa perde frente a Djokovic

João Sousa perde frente a Djokovic

João Sousa foi, esta segunda-feira, eliminado pelo sérvio Novak Djokovic, número seis mundial, nos oitavos de final do US Open, último torneio do Grand Slam, que está a decorrer em Flushing Meadows.

O vimaranense, de 29 anos, não resistiu a Djokovic, bicampeão do US Open (2011 e 2015) e antigo líder do ranking ATP, e acabou por ceder a qualificação para os quartos-de-final, pelos parciais de 6-3, 6-4 e 6-3, em pouco mais de duas horas de encontro.

"Fisicamente não estive tão bem como em ocasiões anteriores. Estava muito calor e tanto eu como o Novak sofremos um pouco. Mas não quero arranjar desculpas. Ele foi melhor e acabou-se. Penso que ele jogou muito bem e desejo-lhe o melhor", confessou o vimaranense, 68.º ATP, em conferência de imprensa.

Apesar da derrota, Sousa protagonizou uma participação histórica em Nova Iorque, ao tornar-se no primeiro português a alcançar a quarta ronda de um Grand Slam.

"Não foi a melhor das experiências porque perdi. Não gosto de perder e preferia ter vencido, por isso não posso estar contente. Mas claro que foi uma experiência especial, este é o maior 'court' do mundo e defrontar alguém como o Novak, neste ambiente, é diferente" destacou o minhoto de 29 anos, que está virtualmente de regresso ao top-50 do 'ranking' ATP.

Mais importante, garante João Sousa, "é a excelente semana, após alguns meses em que as coisas não correram tão bem", para ganhar "boas sensações" e conquistar mais um objetivo. "Estou muito contente por ter jogado tão bem num 'Grand Slam' e ter alcançado uma quarta ronda", admitiu.

Após o encontro que permitiu o regresso aos quartos de final, o bicampeão Novak Djokovic (2011 e 2015) fez questão de desmistificar o resultado alcançado diante João Sousa e que pode ser enganador.

"Foi muito mais complicado do que o resultado mostra. Crédito ao João, que lutou muito bem e foi muito intenso. Estavam condições difíceis na primeira hora, mas depois melhorou um pouco. Foi um encontro difícil. Prefiro nem falar das dificuldades. Somos abençoados por jogar a modalidade que amamos. Tento apenas aproveitar cada momento. Não tenho 21 anos, não me sinto velho, mas o relógio biológico passa-nos certas mensagens. Há alturas em que temos apenas de sobreviver", elogiou o sérvio, sexto cabeça de série.

Apesar de assegurar ter passado por algumas dificuldades em court, Djokovic diz ter conseguido "devolver logo o 'break'" no segundo 'set' para conseguir retomar o ascendente sobre o número um nacional. "Penso que estive bem no final do segundo 'set' e no terceiro. Aproveitei bem as minhas chances", resumiu. O sérvio, que está à procura do 14.º major da carreira, vai agora defrontar o vencedor do encontro entre o suíço Roger Federer e o australiano John Millman.

Concluída a participação histórica no US Open, o próximo compromisso de João Sousa passa pela representação de Portugal na Taça Davis, na eliminatória frente à Ucrânia, referente à primeira ronda de Play-off do Grupo I da zona Euro/África.

ver mais vídeos