Desporto

Liberty abandona regresso ao ciclismo

Liberty abandona regresso ao ciclismo

Por determinação expressa da casa-mãe (Liberty Mutual Group), sedeada em Boston (EUA) a Liberty Seguros Portugal "não patrocinará uma equipa portuguesa de ciclismo profissional, ao contrário do previsto e anunciado", pode ler-se num comunicado emitido pela seguradora.

Os traumas dos casos de doping em Espanha e Portugal, com corredores de equipas patrocinados pela Liberta nestes países e o recente escândalo com Alberto Contador, levaram à decisão dos patrões americanos.

Segundo se pode ler no documento emitido pela empresa seguradora lusa, esta abandona, por imposição a superior, "o projecto de patrocínio de uma equipa portuguesa de ciclismo", já a partir da próxima época.

Durante a Volta a Portugal fora anunciado o regresso ao ciclismo profissional e posteriormente foi anunciada a promoção da equipa de sub 23 do São João de Ver, apoiado pela Liberty, ao escalão profissional, composto na totalidade por "corredores portugueses".

A equipa teria como director-desportivo Manuel Correia.

Ao que o JN apurou, apesar de ainda não estarem assinados contratos, a equipa já tinha anunciado dez corredores para a próxima temporada: Fábio Silvestre e Marco Coelho (ex-Liberty Seguros sub-23), Edgar Pinto, Filipe Cardoso e José Mendes (ex-LA-Paredes Rota dos Móveis), Ricardo Vilela e Sérgio Sousa (ex-Madeinox-Boavista), Vítor Rodrigues (ex-Caja Rural) e António Amorim e Rui Sousa (ex-Barbot-Siper), este último Campeão Nacional de Estrada.

Apesar de tudo, a Liberty Seguros reafirma a intenção de prosseguir e reforçar a sua estratégia de apoio ao ciclismo, nomeadamente, no "empenhado esforço no apoio à luta anti-doping".