Futebol

Mais de cem mil polícias franceses preparados para a final do Mundial

Mais de cem mil polícias franceses preparados para a final do Mundial

A França vai mobilizar um dispositivo de segurança com cerca de 110 mil polícias e gendarmes e 44 mil bombeiros, no fim de semana, que vai motivar grandes multidões nas ruas para assistir à final do Mundial 2018, após a parada militar e as comemorações do Dia da Bastilha.

Estando a França ainda sob ameaça de ataques terroristas, as forças de segurança em todo o país preparam-se para um fim de semana de confraternizações, começando com o feriado nacional de sábado, em comemoração da tomada da Bastilha a 14 de julho de 1789, um ponto de viragem na Revolução Francesa. No dia seguinte, realiza-se a final do Mundial da Rússia, na qual as seleções francesa e croata se vão defrontar pelo título de "Campeão do Mundo".

Em todo o país estão previstas mais de 230 zonas de adeptos e cerca de um milhão de espetadores junto dos ecrãs gigantes existentes para a transmissão da final entre a França e a Croácia.

Em Paris, mais de 12 mil polícias e 1600 soldados vão ser mobilizados. Espera-se que até 90 mil pessoas se reúnam no Campo de Marte, sob a Torre Eiffel. Para esta zona será destacado um efetivo de 4.000 agentes, com a colocação de um perímetro de segurança, no qual será feito um duplo controlo de entrada.

Se a França vencer, espera-se mais de um milhão de pessoas nos Campos Elísios, a mais famosa avenida de Paris, de acordo com o jornal britânico "The Guardian".

Michel Delpuech, chefe da polícia de Paris, disse que existe "uma verdadeira ameaça terrorista" em grandes encontros na França. Carros serão banidos de uma grande parte do centro de Paris e os estacionamentos subterrâneos estarão vazios, devido ao risco de veículos serem usados em ataques terroristas. A polícia vai também evitar que os fãs de futebol alcoolizados entrem na área em redor dos Campos Elísios, para que não coloquem em risco a multidão.

Centenas de milhares de pessoas reuniram-se no centro de Paris para celebrar o resultado das semifinais da França esta semana. Nas primeiras horas da manhã de quarta-feira, algumas pessoas atiraram foguetes e outros projéteis à polícia, que respondeu com gás lacrimogéneo. No centro de Nice, o momento de pânico por parte da multidão, confusa, provocou vários feridos.

Sábado marca ainda o segundo aniversário do ataque do camião de Nice, quando um homem matou 86 pessoas e feriu 450, conduzindo o veículo contra a multidão que assistia aos fogo de artifício do Dia da Bastilha ao longo da orla marítima da cidade.

Outro dos desafios para as forças de segurança continua a ser a Volta a França em bicicleta, que prossegue no fim de semana.

ver mais vídeos