Barcelona

Maradona e a vida boémia: documentário revela que "El Pibe" escondeu doença venérea

Maradona e a vida boémia: documentário revela que "El Pibe" escondeu doença venérea

Documentário conta os segredos de "El Pibe" e a vida boémia quando esteve ao serviço do Barcelona

Os 700 dias em que o argentino Diego Maradona foi jogador do Barcelona, nas épocas de 1982/83 e 83/84, são o tema central do documentário "Fútbol Club Maradona", que vai estrear na emissora espanhola "Movistar". O filme, segundo alguns testemunhos, revela que o jogador contraiu hepatite na primeira temporada e sofreu uma lesão grave na segunda, o que prejudicou a passagem pelo Barça.

"A hepatite na realidade escondia uma doença venérea [infeção transmitida por via sexual], mas como isso era intolerável, não se podia contar na comunicação social e o clube tentou arranjar uma razão de explicar o tempo de paragem necessário", explicou o jornalista Fabián Ortiz.

A película retrata também a vida boémia do astro argentino. "Desde o primeiro dia que a sua casa estava cheia. Às vezes eram 30 ou 40 amigos, primos, a comer e beber. Às vezes às dez da noite estavam 10 ou 12 sentados no chão, a ver filmes, a rir até de madrugada. E saíam muito, havia muito dinheiro", recordam os protagonistas do documentário.