e-toupeira

Moniz: "Paulo Gonçalves pôs lugar à disposição, mas não aceitámos"

Moniz: "Paulo Gonçalves pôs lugar à disposição, mas não aceitámos"

José Eduardo Moniz, vice-presidente do Benfica, diz que o diretor jurídico do clube, Paulo Gonçalves, arguido no processo e-toupeira, pôs o lugar à disposição, mas que o pedido não foi aceite pela SAD benfiquista.

"A primeira atitude que tomou foi colocar o lugar à disposição, porque, segundo ele próprio afirmou, não queria colocar o Benfica perante nenhuma situação que porventura fragilizasse o clube. É um ato nobre, de alguém que tem a noção de que o Benfica está acima de qualquer um de nós. Está acima dele, de mim, do presidente. Como não queríamos antecipar-nos à justiça e julgamos que terá todas as possibilidades de se defender dos factos que lhe são imputados, não aceitámos", afirmou José Eduardo Moniz à BTV.

"Não querendo fazer nenhum julgamento antecipado e convictos de que o Dr. Paulo Gonçalves tem pleno direito e capacidade, sabendo no momento certo esclarecer tudo aquilo que lhe é imputado, decidimos que se deveria manter em funções executando as tarefas que lhe têm sido imputadas ao longo dos anos. Esta é uma justificação que nos parece lógica. Além disso, todas as pessoas são inocentes até serem consideradas culpadas. Quem tem de fazer esses juízos são os tribunais e não nós", concluiu José Eduardo Moniz.

ver mais vídeos