Desporto

Overdose de ovos moles e outras histórias de Jardel

Overdose de ovos moles e outras histórias de Jardel

Mário Jardel leva uma vida recheada de casos, polémicas e histórias memoráveis.

O antigo goleador do F.C. Porto e Sporting está de volta às notícias e novamente pelos piores motivos. O ex-futebolista vai ser suspenso das funções de deputado estadual do Rio Grande do Sul, Brasil, no âmbito de uma investigação judiciária, que o relaciona com casos de corrupção.

A vida de Jardel tem sido uma contínua fonte de casos surpreendentes e polémicas que o continuam a perseguir. Leia algumas dessas histórias.

Primeiros problemas com droga em Fortaleza

Só 16 anos depois da aventura inicial é que Mário Jardel assumiu os passos iniciais no mundo da toxicodependência, experiência que ditou o começo do declínio da sua carreira. Então (1998), ainda representava o F. C. Porto, clube onde viveu das melhores fases da sua carreira. "A primeira vez foi durante um churrasco, em Fortaleza", admitiu Super-Mário, em 2014, numa entrevista ao portal brasileiro "Lancenet". "Só consumia nas férias. O médico e o fisioterapeuta do F. C. Porto sabiam porque eu contava-lhes", revelou, então. Algo que motivou reação enérgica por parte dos profissionais portistas visados. Certo é que o jogador, logo aí, tentou melhorar o estilo de vida e foi um mês para uma clínica especializada, numa tentativa de desintoxicação.

Divórcio à vista leva-o a meter licenças médicas no Sporting

No verão de 2002, a meio da passagem pelo Sporting, a separação da mulher, Karen Ribeiro, levou-o a meter férias prolongadas. A equipa estava em pré-temporada, mas antes de o divórcio se consumar Jardel conseguiu quatro licenças médicas e voltou ao Brasil, para se recuperar psicologicamente. O caso virou novela luso-brasileira, as datas do seu regresso a Lisboa foram sucessivamente adiadas e os responsáveis leoninos mostraram dificuldades para lidar com a situação. Quando o Sporting já procurava a transferência para tentar arrecadar algum dinheiro, a 6 de outubro, a novela terminou, com o seu regresso. Mas nada foi como dantes, o rendimento baixou, os problemas acumularam-se e acabou por ser vendido aos ingleses do Bolton.

Apareceu bêbado no hotel do estágio e terá caído na piscina

Em abril de 2003, Jardel foi processado pelo Sporting e colocado a treinar à parte. Um regime específico, para dar tempo à Administração apurar factos e responsabilidades de um incidente que envolveu o avançado, no Hotel Tivoli, em Lisboa. Jardel apareceu embriagado na unidade hoteleira, durante um estágio da turma leonina para o jogo em casa com o Vitória de Guimarães e, pelo meio, terá caído na piscina do empreendimento. Super-Mário foi colocado debaixo da alçada disciplinar, mas Laszlo Bölöni, então técnico do Sporting, mesmo não tendo gostado da atitude do jogador, lembrou que "os cemitérios estão cheios de imprescindíveis" e suavizou as críticas. João Vieira Pinto, tido como "pai" do brasileiro pelas assistências nos golos, também saiu em sua defesa.

Pediu para ir ao funeral da avó e foi jogar bingo para São Paulo

Em junho de 2004, logo depois de se comprometer com o Palmeiras, Jardel foi libertado pelo clube brasileiro para ir a Fortaleza, ao funeral de uma avó. Mas, em vez de ir prestar as últimas homenagens a dona Iracema, ficou em São Paulo a divertir-se. Ao fim de nove dias sem dar notícias, os dirigentes do Palmeiras colocaram-se em campo e descobriram que, na data do funeral da familiar, o então jogador estivera uma noite inteira a jogar bingo, bem longe de Fortaleza. As ausências aos treinos, as mentiras e as sucessivas noitadas colocaram o goleador fora do "Verdão", antes mesmo de assinar. O Palmeiras "encheu o saco", não aguentou mais e tratou de despachar o futebolista que, por lá, ficou sobretudo conhecido pelas presenças em casas de samba e discotecas.

Quase morria de overdose de ovos-moles em Aveiro

Após representar o Goiás, Jardel teve em 2006 a hipótese de voltar ao futebol português, ao serviço do Beira-Mar. A experiência em Aveiro teve altos e baixos. Apresentou-se com dez quilos a mais e tentou perder peso, para melhorar a movimentação. Mas tinha recaídas. Certa ocasião, os dirigentes do clube aveirense encontraram o jogador estendido no quarto, de olhos revirados e com uma espuma amarela a sair do canto da boca. Sabendo do historial do antigo goleador, admitiram ser cocaína, mas, na realidade, tinha apanhado uma overdose de ovos-moles. Jardel pegou em duas caixas cheias da especialidade aveirense e deu-se ao trabalho de retirar a parte líquida de cada doce. Preparou tudo e terá tomado tudo de uma só vez. Foi levado para o hospital e quase ia morrendo.

Caseiro demorou a voltar do supermercado e foi agredido

De férias no Ceará, em julho de 2007, Jardel protagonizou mais um episódio de violência. Expedito Mauro Freire, então com 49 anos, era quem cuidava da residência de Super-Mário, nas Dunas, no bairro da Praia do Futuro. Mas, certa noite, o antigo avançado irritou-se com o tempo que o caseiro gastou a regressar das compras num supermercado e, quando ele voltou, agrediu-o a soco e a pontapé. O caseiro desmaiou, vindo mais tarde a apurar-se ter sofrido um traumatismo craniano, com perda de tecido ósseo. Por culpa disso, passou algum tempo internado. Nas agressões, Jardel contou com a ajuda de um segurança, identificado como tenente Albuquerque, um polícia que fazia horas extras para ganhar mais dinheiro e que acabou por ter problemas na corporação.

Despediu 17 funcionários do seu gabinete e desapareceu

Em abril deste ano, já na função de deputado, Jardel andou desaparecido após ter despedido 17 dos 21 funcionários do seu gabinete. E transferiu os restantes quatro trabalhadores. "Foi feita uma limpeza", argumentou, na altura, Cristian Lima, o seu chefe de gabinete, que todavia não conseguiu explicar o desaparecimento do antigo avançado, que meteu baixa médica e esteve alguns dias sem dar notícias. A atitude dessagrou a Danrlei Hinterholz, antigo companheiro de Jardel no Grémio e no Beira-Mar, membro ativo na campanha eleitoral de 2014, que acusou o ex-jogador de falhar "em princípios éticos como lealdade, confiança e consideração". Pelos vistos, não aprendeu com os erros e agora acabou por ver o seu mandato suspenso, decisão entretanto revogada.

Apanhado com dez quilos de bacalhau após visita a Portugal

Um dos episódios mais recentes aconteceu em outubro deste ano. Jardel teve dez quilos de bacalhau apreendidos pela fiscalização sanitária ao voltar ao Brasil, após a viagem a Portugal. A apreensão ocorreu no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul. O bacalhau estava numa das malas do antigo goleador e foi apreendido, dado que a sua entrada no Brasil só é permitida se com o produto estiver um certificado de qualidade e a origem do país onde foi adquirido. Além do bacalhau, também viu serem--lhe apreendidos outros produtos, como conservas de peixe, 1,2 quilos de queijo e nozes, também sem licença de entrada no país sem garantias sanitárias. Na altura, argumentou desconhecer as restrições. Os alimentos foram destruídos no aeroporto.

ver mais vídeos