Liga dos Campeões

Paulo Fonseca diz que F. C. Porto tem armas para vencer o Zenit

Paulo Fonseca diz que F. C. Porto tem armas para vencer o Zenit

Paulo Fonseca prevê um jogo aberto e acredita que também o Zenit jogará para vencer. Para o Zenit-F. C. Porto, de quarta-feira, relativo à Liga dos Campeões (17 horas, SportTV), o técnico avisa que o F. C. Porto tem "crença" e "armas" para sair vitorioso de São Petersburgo.

Com Pinto da Costa e Antero Henrique na sala de conferências, Paulo Fonseca fez, esta terça-feira, a antevisão do desafio, que pode ditar o futuro dos dragões na prova, optando por desvalorizar a decisão de última hora da UEFA, que vai permitir a Alex Witsel defrontar o F. C. Porto.

"Independentemente dos nomes, o Zenit é uma equipa fortíssima", comentou, acerca do belga, acrescentando que o encontro da Rússia nada terá ver com o realizado ante o Belenenses e que terminou empatado (1-1).

"Na Champions, os jogos são diferentes. As duas equipas vão querer ganhar. Algo que não nos acontece, na maioria dos casos, em Portugal. Acredito que iremos assistir a um jogo aberto", adiantou.

"Apesar de atuarmos fora de casa e diante de uma equipa poderosa, estamos preparados. Temos crença e as nossas armas. Pretendemos defender longe da nossa baliza e ter a bola o mais próximo possível da área adversária", explicou.

Na resposta a um jornalista russo, Paulo Fonseca repetiu que, no F. C. Porto-Zenit, no Dragão, "se Herrera não tivesse sido expulso logo aos seis minutos, teria sido diferente".

Danilo acompanhou o treinador nas declarações aos jornalistas. O brasileiro destacou "Hulk e Danny" como os principais perigos do Zenit, e realçou que a passagem do F. C. Porto aos oitavos da Champions está em aberto.

"Tudo o que não seja uma vitória, complica. Mas ainda haverá mais dois jogos", observou, admitindo que o golo de Kerzhakov, no Dragão, "podia ter sido evitado". Também disse que Hulk "teve sorte" no centro para o cabeceamento vitorioso do russo, na Invicta.

Imobusiness