Mundial 2018

Polónia apura-se e Lewandowski foge a Ronaldo

Polónia apura-se e Lewandowski foge a Ronaldo

Autor de um dos tiros com que a Polónia bateu Montenegro (4-2), Robert Lewandowski fez o 16.º golo da conta pessoal, e melhorou o estatuto de maior marcador da história das qualificações europeias para os campeonatos do mundo de futebol, deixando Cristiano Ronaldo para trás, a dois remates.

O atacante do Bayern também celebrou o apuramento da Polónia para o Mundial da Rússia 2018. A Dinamarca vai ao "play-off" e a Eslováquia aguarda por outros resultados para saber se também pode ir às "barrages". Em África, o Egito apurou-se com um golo ao minuto 90+5...

Prometida quase desde as primeiras jornadas, a qualificação da Polónia foi confirmada nesta tarde de domingo, em Varsóvia. Na última jornada do grupo E, Lewandowski também celebrou mais uma façanha pessoal, mas continua à mercê de Cristiano Ronaldo, que ainda tem um desafio pela frente, esta terça-feira, com a Suíça, para poder bater o recorde do polaco.

Com remates de Stefan Mugosa e Zarko Tomasevic, Montenegro ainda assustou Varsóvia e foi capaz de recuperar dois golos de atraso (Maczynski e Grisicki adiantaram a Polónia até 2-0), mas acabou por se vergar à força da equipa da casa, que fez mais dois golos, o tal de Lewandowski, e outro apontado na própria baliza pelo defesa montenegrino Filip Stojkovic.

Este resultado desiludiu de vez os compatriotas de Nikola Vukcevic, médio do Braga, que foi titular no penúltimo jogo do grupo. Montenegro entrou em campo a três pontos do segundo lugar e ainda pretendia chegar à vaga de "play-off", que acabou por ser conquistada pela Dinamarca. A seleção nórdica confirmou a presença no "mata-mata" final após o empate com a Roménia (1-1). Em Copenhaga, Christian Eriksen (de penálti, 60 m) e Ion Deac (88) fizeram os golos.

No grupo F, a Inglaterra, que já estava apurada, não facilitou nada. Um golo de Harry Kane, de penálti, chegou para os ingleses somarem a oitava vitória em dez jogos. Para já, a vaga de "play-off" está mais próxima da Eslováquia. E Escócia foi eliminada por défice de golos (17-12 contra 17-7). Os eslovacos ainda não têm garantida a presença entre os oito melhores segundos entre os nove grupos da zona europeia. Para isso, precisam de um empate em campos alheios, seja da Croácia (grupo I) ou de Gales (D) nos desafios desta segunda-feira. Suspense.

Na última jornada, a Escócia só pôde empatar na Eslovénia (2-2) e terminou a chorar mais uma eliminação. Em Ljubliana, os escoceses tentaram tudo e, já contra dez, nos últimos minutos, forçaram o ataque em busca do golo libertador, mas acabaram prostrados no relvado, a chorar mais uma desilusão. Desde o Mundial de 1998 que a pátria de Dalglish e de Stracham falham todas as grandes competições.

Do gelo escocês, para a escaldante Cairo, onde o Egito garantiu a qualificação que lhe escapava havia 28 anos, desde o Itália-90. A seleção dos faraós festejou ao minuto 90+5, com um penálti convertido por Mohamed Salah, que derrotou o Congo (2-1).

A uma jornada do final deste grupo E da zona de qualificação africana, o Egito comanda com 12 pontos e já está fora do alcance do Uganda (oito unidades). A 6 de novembro, a última jornada (Congo-Uganda, Gana-Egipto) será só para cumprir agenda.

ver mais vídeos