Desporto

Portugal conquista torneio de Montreux de hóquei em patins

Portugal conquista torneio de Montreux de hóquei em patins

Portugal conquistou este domingo a 65.ª edição da Taça das Nações de hóquei em patins, em Montreux, Suíça, batendo no final a Espanha, com 1-0 no desempate por grandes penalidades, após 4-4 no tempo regulamentar e prolongamento.

O jovem Gonçalo Alves, estreante na seleção neste torneio, deu a Portugal o triunfo na final da Taça das Nações de hóquei em patins, convertendo a grande penalidade que desempatou o jogo contra Espanha.

As duas seleções estiveram equilibradas ao longo do jogo, que terminou com 4-4 no marcador, e depois no prolongamento quase nada arriscaram, não se registando golo nesse período.

Nas grandes penalidades, após nove falhanços - cinco de Espanha e quatro de Portugal -, Gonçalo Alves entrou no jogo para resolver, batendo finalmente o guarda-redes Carles Grau.

Com este triunfo, esperado, atendendo a que a Espanha praticamente apresentou a sua equipa sub-23, Portugal "desempata" do rival no historial de Montreux e passa a ter 17 triunfos, sendo este o terceiro consecutivo.

Portugal redimiu-se do desaire na fase de grupos, por 5-4, mas as coisas não foram fáceis e logo aos nove minutos Toni Perez adiantou a Espanha. Aos 11 minutos Caio empatou, com um remate de primeira, a passe de Ricardo Barreiros, e aos 16 Marc Olle adiantou de novo os espanhois.

Em desvantagem por 2-1 ao intervalo, Portugal reentrou mal no jogo com Caio a falhar um livre direto, aos 24 minutos, mas logo de seguida Ricardo Barreiro fez funcionar a sua meia distância e empatou o jogo.

Ricardo Barreiros também falhou um livre direto, aos 31 minutos, e volvido um minuto colocou finalmente Portugal na frente do marcador, com um belo remate de longe.

A Espanha fez o 3-3 no minuto 35: livre direto de Enric Torner, com defesa de Ricardo Silva e depois a bola "picada" por cima do desamparado guarda-redes, na recarga. Sem oposição, Enric Torner fez o 4-3, aos 36 minutos, colocando Portugal sob grande pressão.

Aos 37 minutos Cristian Rodriguez cedeu uma grande penalidade que Ricardo Barreiros falhou, mas logo de seguida Caio "faturou". A 45 segundos do final Portugal podia ter resolvido as coisas, num livre direto que Jorge Silva não conseguiu marcar.

O prolongamento nada adiantou ao jogo, com ambas as equipas a recearem-se mutuamente, sabendo que qualquer golo finalizava o jogo e entregava a taça.

A Espanha abriu a lotaria das grandes penalidades, com Toni Perez a falhar, tal como fariam, depois, Cristian Rodriguez, Xavier Barroso, Pau Bargalló e Enric Torner.

Caio, Ricardo Barreiros, Helder Nunes e João Rodrigues também falharam - mas Gonçalo Alves não. O jovem de 19 tornou-se assim o "herói" da final, mesmo sem jogar e só ser chamado para aquele remate.

Portugal alinhou hoje com Ricardo Silva, Ricardo Barreiros, Valter Neves, Jorge Silva e Caio (cinco inicial). Também jogaram Diogo Rafael, Hélder Nunes, João Rodrigues e Gonçalo Alves.

A Espanha jogou com Carles Grau, Enric Torner, Toni Perez, Cristian Rodriguez e Xavier Barroso (cinco inicial), e ainda Marc Olle e Pau Bargallo.

Antes, Angola, anfitriã do próximo campeonato do Mundo, assegurou o terceiro lugar, com 6-3 à Alemanha. A França goleou o Brasil por 8-1, para o quinto lugar, e o Montreux superiorizou-se à Suiça, por 4-3, assegurando o sétimo lugar.