Atletismo

Portuguesa concluiu seis triatlos "ironman" em 56 dias

Portuguesa concluiu seis triatlos "ironman" em 56 dias

A portuguesa Maria Conceição, que participa esta nas Conferências do Estoril, alcançou outra proeza desportiva ao concluir seis triatlos "ironman" em continentes diferentes em menos de dois meses.

"Médicos e terapeutas de desporto dizem-me que eu não tenho um corpo de atleta e eles ficam espantados, dizem que eu devo conseguir puramente graças à força mental", disse à agência Lusa.

A filantropa é uma das oradoras desta quarta-feira nas Conferências do Estoril, no painel "Migração Global, Responsabilidade Global", onde participa enquanto fundadora da Fundação Maria Cristina, que financia a educação de crianças no Bangladesh.

A última prova do desafio "6x6" foi disputada a 29 de maio na cidade brasileira de Florianópolis, na América do Sul, e concluída em 14:13 horas, o tempo mais rápido dos seis triatlos "ironman", que consistem em 3,86 quilómetros de natação, 180,25 quilómetros de ciclismo e uma maratona (42,2 quilómetros), feitos consecutivamente e em menos de 17 horas.

Os anteriores realizaram-se a 2 de abril em Port Elizabeth, na África do Sul (África), 22 de abril em Houston, EUA (América do Norte), 30 de abril em Taiwan (Ásia), 7 de maio em Port Mcquarie (Austrália) e 20 de maio em Lanzarote (Europa).

No total, Maria Conceição, uma lisboeta residente no Dubai, nadou 22,8 quilómetros, percorreu de bicicleta 1080 quilómetros e correu 253,2 quilómetros em 56 dias, exibindo sempre a bandeira nacional.

A portuguesa confessou à Lusa a "óbvia luta física e mental" que sentiu para terminar o desafio no mais curto espaço de tempo para atingir o objetivo de se tornar na mulher mais rápida a completar "ironman" em seis continentes.

"Eu não tinha tempo suficiente para recuperar entre cada um, então cada um foi mais difícil e precisou de mais esforço para completar", descreveu.

Maria Conceição foi a primeira mulher portuguesa a chegar ao topo do monte Evereste, o mais alto do mundo, em 2013, dois anos depois de ter caminhado até ao Polo Norte. Maria Conceição tentou atravessar a nado o Canal da Mancha apenas meses depois de aprender a nadar, mas acabou por desistir após sete horas devido à força das correntes.

A portuguesa tem seis entradas no Livro de Recordes Mundiais do Guinness, incluindo três atingidas em 2014, quando levou a cabo o desafio 777, que consistia em correr sete maratonas em sete dias em sete continentes.

A lisboeta antiga assistente de bordo admite não gostar particularmente de desporto, mas que estes desafios são importantes para divulgar o trabalho da Fundação Maria Cristina, que criou em 2005 para ajudar crianças no Bangladesh.

"Espero que as pessoas percebam até onde eu estou disposta a ir para aumentar sensibilizar a necessidade de apoio para essas crianças e que elas nos podem apoiar financeiramente fazendo uma doação para a instituição de caridade", vincou.

Até hoje, recolheu 1% das 390 mil libras (446 mil euros) definidas como meta.

Conteúdo Patrocinado