Futebol

Presidente do Marítimo defende Petit: "Não podemos ser verdadeiros"

Presidente do Marítimo defende Petit: "Não podemos ser verdadeiros"

Carlos Pereira, presidente do Marítimo, abordou as declarações que Petit prestou após o jogo com o Feirense. O treinador dos madeirenses revelou que mandou forçar dois cartões amarelos antes do jogo com o Benfica, no Estádio da Luz, para os jogadores estarem com a "ficha limpa" na reta final do campeonato.

"Infelizmente, às vezes a verdade é dura e cruel para quem é verdadeiro. As pessoas podem interpretar da forma que quiserem, porque a nós compete-nos gerir o plantel da forma que entendemos, pois na hora da aflição ninguém nos deita a mão. Foi assim que o Petit entendeu e foi assim que ele quis ser como é: verdadeiro", começou por dizer o líder dos madeirenses, salientando que, no futebol português, "não se pode ser verdadeiro".

"O problema do futebol português é que não podemos ser verdadeiros nem ser diferentes dos outros. Por isso, a forma como ele geriu o plantel é como todos fazem. Mas o que está aqui em causa é a forma de gestão diferente, transparente e tranquila que o Marítimo realizou", concluiu.

Recorde-se que após o jogo com o Feirense, que o Marítimo venceu por 2-0, Petit revelou que dois futebolistas dos madeirenses completaram propositadamente uma série de cartões amarelos para falharem o encontro frente ao Benfica, no Estádio da Luz. O treinador recordou que usou a mesma estratégia antes do jogo frente ao F. C. Porto, no Dragão.

"Cada semana tem a sua estratégia para cada jogo. Vamos apanhar uma equipa difícil, o Benfica, e já no jogo com o F. C. Porto, no Dragão, poupámos alguns jogadores que estavam com quatro amarelos e em risco de não defrontarem o Nacional. Por isso, optámos por esses jogadores (Edgar Costa e Joel) levarem o quinto amarelo e estarem disponíveis para os quatro jogos finais", disse o técnico do Marítimo.