Premium

Presidentes do F. C. Porto e Braga unidos no passado, distantes no presente

Presidentes do F. C. Porto e Braga unidos no passado, distantes no presente

O relacionamento institucional entre F. C. Porto e Sporting de Braga, equipas que se defrontam depois de amanhã (20.30 horas, ​​​​​​​SportTV), no Dragão, para a 10.ª jornada da Liga, já viveu dias bem melhores.

Pinto da Costa e António Salvador, líderes portista e braguista, respetivamente, já idealizaram muitos negócios juntos. Na primeira década do empresário minhoto à frente do Sporting de Braga, 17 jogadores rumaram do Dragão para a capital minhota. Mas, nos últimos seis anos, foram somente três. No sentido inverso, apenas cinco futebolistas trocaram os guerreiros do Minho pelos dragões, desde 2003, ano em que Salvador se tornou líder do Braga.

Longe já vai o tempo em que os azuis e brancos e Pinto da Costa eram um dos principais aliados de António Salvador na estratégia de crescimento do clube. A parceria começou com a cedência do avançado brasileiro Pena. Se as mudanças já tinham baixado de ritmo, na época passada, depois de o presidente do Braga se ter tornado um dos principais rostos do G15, movimento de clubes independentes dos três grandes, conseguiu aprovar várias alterações aos regulamentos da Liga, sem a concordância do F. C. Porto, tudo se agravou.

Em dezembro, o líder dos dragões abandonou uma assembleia-geral da Liga por não aceitar que as propostas do G15 fossem a votação, tendo criticado, de forma implícita, a postura do homólogo braguista. Uma das medidas aprovadas pelo G15 foi a limitação de futebolistas emprestados. "Achei engraçado Salvador ser contra os empréstimos e ter lá um jogador que nos pediu muito, que é o João Carlos Teixeira.

Espero que em janeiro o devolva para ser coerente", disse, há um ano, Pinto da Costa. Na resposta, Salvador ripostou: "Obviamente, não vou devolvê-lo. Acho que o João Teixeira não gostaria de voltar ao F. C. Porto em janeiro. Foi-nos oferecido e disseram-nos que só poderia vir em definitivo. Só não está cá nessa condição porque o F. C. Porto deu o dito por não dito e acabou por emprestá-lo". O jogador alinha agora no V. Guimarães.

De resto, esta época, o Braga já nem tem jogadores cedidos pelos dragões, sendo que a última transferência para o F. C. Porto tem mais de dois anos. Foi no verão de 2016 que Boly rumou ao Dragão, por 6,5 milhões de euros. Nessa ocasião, os portistas tentaram Rafa, mas o extremo acabaria por rumar ao Benfica.

ver mais vídeos