Sporting

"Revoltava-me quando ouvia: 'são um clube diferente mas não vencem nada'"

"Revoltava-me quando ouvia: 'são um clube diferente mas não vencem nada'"

O Sporting foi recebido esta segunda-feira na Câmara Municipal de Lisboa, depois de ter conquistado a Taça de Portugal. Frederico Varandas, líder leonino, salientou que o plantel conquistou "muito mais do que uma taça".

Pela terceira vez este mês, o Sporting voltou a ser recebido na Câmara Municipal de Lisboa. Depois dos títulos europeus em hóquei em patins e futsal, foi a vez do plantel de futebol ser recebido após conquistar a Taça de Portugal frente ao F. C. Porto. Um troféu que, segundo Frederico Varandas, "é muito mais do que uma taça".

"Se um realizador de cinema que pegasse no último ano do Sporting, conseguia fazer um belo filme. Um filme com um final lindo. Um filme em que estes senhores foram os atores principais e que, apesar de todas as dificuldades que encontraram durante o ano, lutaram até ao fim. Naquela tarde, o Sporting não venceu apenas a um grande clube. Não venceu apenas uma grande equipa de futebol. Não venceu apenas uma Taça de Portugal. Venceu muito mais que isso. Demonstrou que depois de estar fragmentado, partido, débil, está de volta ao mais alto nível: saudável, forte, competitivo e vencedor. Ninguém mais do que os sportinguistas mereciam esta vitória", começou por dizer o presidente do Sporting.

Numa época em que os leões voltaram a conquistar dois troféus - Taça da Liga e Taça de Portugal -, algo que não sucedia desde 2007/08 (Supertaça e Taça de Portugal), Frederico Varandas fez questão de enaltecer a boa prestação da época, salientando que o Sporting "é um clube diferente".

"O Sporting este ano, partindo das piores condições possíveis realizou, (falando de títulos), a melhor época dos últimos 17 anos. E isso deveu-se sobretudo ao mérito dos jogadores, do treinador e equipa técnica, de uma estrutura invisível e altamente profissional, mas também devido a um ambiente de estabilidade, rigor e exigência que permite extrair o melhor dos nossos jogadores. Cresci e ensinaram-me a amar o Sporting por ser um clube diferente. Um clube que não negoceia valores. Mas confesso que sempre me incomodou e até me revoltava quando ouvia por demasiadas vezes: 'vocês são um clube diferente mas não vencem nada". Este Sporting demonstrou que não é preciso abdicar dos nossos valores para se vencer", acrescentou, sublinhando que continua a ser "uma pessoa normalíssima",

"Muitas vezes, os sportinguistas desabafam preocupados na rua comigo com este ruído que gravitou ao longo deste ano e da instabilidade que alguns querem parecer que há. É verdade que alguns têm megafone e, quando digo megafone falo de alguém que fala numa TV, num jornal, numa rede social qualquer. Mas sportinguistas, fiquem tranquilos pois, por muito barulhento que seja o tipo de megafone, se a mensagem não for verdadeira ninguém a segue. Ninguém acredita. Há um ano era diretor clínico do Sporting e agora sou presidente. Mas sou exatamente a mesma pessoa. Uma pessoa normalíssima e tudo isso faz com que eu nunca perca o contacto com a realidade", concluiu o líder leonino.