Desporto

Rodríguez escolheu F. C. Porto em cinco minutos  

Rodríguez escolheu F. C. Porto em cinco minutos  

Cinco minutos. Este foi o tempo necessário para Cristian Rodríguez, nas palavtras do próprio, dar uma volta na sua vida profissional e trocar o Benfica pelo F. C. Porto, para as próximas quatro épocas.

Em cinco minutos, o uruguaio assinou contrato, deixando para trás a Luz e aspirando a uma vida de conquistas no Dragão, onde, segundo diz, a mentalidade vencedora e a confiança transmitida aos jogadores é um excelente indicador para o futuro. Estas são, no fundo, fortes razões que justificam a sua escolha, aliadas, obviamente, ao aspecto financeiro, já que o F. C. Porto pagou bem caro pela sua contratação - 7 milhões de euros por 70% do passe.

"A adaptação está a correr bem. Dá para ver que é um clube grande. Espero ter sorte e a minha oportunidade. Estou aqui há uma semana e dá para ver que a mentalidade é diferente, ganhar para ser campeão. Já admirava o F. C. Porto porque vence sempre. Esta época partimos como campeões e agora que estou deste lado também quero ser campeão", afirmou Rodríguez, após o primeiro treino em Marienfeld. "Sinto-me mais cómodo porque há muitos sul-americanos. Tenho comigo o Fucile, que é amigo da selecção", anotou.

Trocar Lisboa pelo Porto, ainda por cima dois clubes rivais, foi uma opção bem ponderada, mas fácil de tomar. "Tenho representantes que tratam disso. Pensei como um profissional, tenho uma carreira pela frente, tenho que pensar no futuro e na família, optei pelo F. C. Porto porque me dão confiança", começou por dizer. "Foi fácil. Decidi-me em cinco minutos. Estou muito contente, sobretudo pela confiança transmitida. Joga-se muita coisa importante. Este clube está habituado a ser campeão e agora tenho essa sorte", completou.

Reunião em Milão

Segundo Rodríguez, o contacto com o F. C. Porto aconteceu num decisivo encontro em Itália. "Foi na reunião em Milão. Foi uma decisão de cinco minutos. Assinei aí. Não falei com mais ninguém do Benfica. Foi fácil. Terminei de jogar pela selecção, firmei contrato em cinco minutos e fui de férias como tinha pensado. Não mudei de clube só pela questão financeira. Também por respeito. Como disse, e repito-o mil vezes, tenho pessoas que tratam disso. Vocês (jornalistas) terão que lhes perguntar. Eu só trato de jogar bem ou mal. É um contrato por quatro anos e quero aproveitar ao máximo", resumiu.

Com a ida à Luz logo à segunda, jornada impunha-se ouvir o jogador acerca da recepção esperada. "É um clássico, que todos gostam de jogar. Assim como vesti a camisola adversária, vou defender a do F. C. Porto o melhor possível. Não sei se será apenas mais um jogo. Todos sabem que é um clássico e vou querer ganhar. Não sei como vou ser recebido. É complicado dizê-lo. Nunca faltei ao respeito ao adversário. Têm que entender que é a minha profissão. Falei com o professor Jesualdo Ferreira e ele sabe como é que isto se processa. Também esteve no Benfica. É normal. Não há mistério. Nada há a inventar. O futebol é mesmo assim", explicou.

Rodríguez disse, ainda, que é compatível com Quaresma e que será Jesualdo a designar em que flanco irá jogar. "De momento, sim, espero actuar na posição de sempre, pela esquerda, mas o treinador é que decide, pela direita ou pela esquerda. Posso jogar perfeitamente nos dois lados. Todos sabemos que o Quaresma é um bom jogador. Jogam onze e haverá espaço para todos", considerou.

ver mais vídeos