Festejos

"Se calhar têm de me meter numa jaula", diz Sérgio Conceição

"Se calhar têm de me meter numa jaula", diz Sérgio Conceição

Na antevisão do jogo desta sexta-feira com o Portimonense, o treinador do F. C. Porto comentou as incidências do dérbi no Bessa e foi explosivo na forma como abordou o facto de ter sido expulso.

"Durante todo o jogo, tive ali quatro ou cinco amigos nas minhas costas que não pararam de dizer que gostavam muito de mim e que eu era um tipo espetacular. Comemorei o golo que marcámos aos 95 minutos com um palavrão pelo meio. Quem é que nunca o fez? No golo do Éder [que deu a vitória a Portugal na final do Euro 2016], ninguém soltou um palavrão? Só quem estava na missa. Para mim, todos os jogos do F. C. Porto são como o golo do Éder", disse Sérgio Conceição.

"Fiquei indignado pela maneira como a minha expulsão foi comentada. É inadmissível. Se calhar têm de me meter numa jaula. Ninguém fica agradado por ser expulso, mas nas minhas três expulsões que tanto evocam não apanhei castigo porque não fiz nada de grave para que isso acontecesse", acrescentou, criticando a postura do Boavista no dérbi portuense.

"O jogo no Bessa foi muito disputado e intenso, mas não contava que o Boavista não jogasse futebol. No início da época, recebeu outro candidato ao título e fez 12 faltas. Contra nós, fez mais do dobro e só conto as que foram assinaladas, porque houve tantas outras que não o foram. O árbitro perdeu a mão no jogo logo aos 15 minutos. Na primeira parte, faltaram cartões amarelos a dois ou três jogadores do Boavista, que talvez já não viessem para a segunda parte. Mas ninguém fala disso. Só se falou da minha expulsão e de um possível penálti. E do golo do Héctor [Herrera], que se calhar não está off-side, ninguém disse nada", referiu.

Sobre a partida com o Portimonense, que abre a 12.ª jornada do campeonato, Conceição desvalorizou o facto de o treinador da equipa algarvia, António Folha, saber tudo sobre o F. C. Porto. "Vai ser um jogo muito difícil e são três pontos extremamente importantes na nossa caminhada. Eu conheço tão bem o Folha e ele conhece-me tão bem a mim que será difícil surpreendermo-nos um ao outro. Na época passada, conseguimos ganhar, mas o Portimonense marcou-nos sempre golos. A minha preocupação é manter a equipa focada", salientou o técnico portista, abordando ainda a possível ausência de Jackson Martínez do encontro, devido a lesão.

"Gosto sempre de defrontar os melhores jogadores e o Jackson é um jogador de quem toda a gente gosta. Não privei com ele aqui no F. C. Porto, mas toda a gente sabe que é um futebolista de eleição e um ser humano espetacular. Se joga, ou não, não faço a mínima ideia. Sei que se lesionou no último jogo e que está limitado", afirmou.

ver mais vídeos