Desporto

Suspeitas de droga abalam o outrora pacato universo da petanca

Suspeitas de droga abalam o outrora pacato universo da petanca

É um dos desportos mais calmos do planeta. Ainda assim não está imune à polémica. Há suspeitas de que os jogadores belgas da petanca usem drogas durante as competições internacionais.

Chega ao verão e é comum nas praças, um pouco por toda a Europa, ver pessoas a jogar petanca. O jogo tradicional tem no entanto uma vertente quase profissional, que contempla competições internacionais. E é nesses jogos entre atletas de diferentes países que crescem as suspeitas de que alguns jogadores estão a competir sob o efeito de drogas.

"Eu conheço muito bem os jogadores belgas que usam cocaína", disse Edward Vinke, um atleta holandês, de 46 anos, em declarações ao portal "Vice". "Eles vão à casa de banho e quando regressam não fazem uma única jogada errada", acrescentou.

A rivalidade entre os jogadores belgas e holandeses é bem conhecida nos corredores da modalidade. Sendo que os belgas a levam mais a sério. But Gert Quetin, um jogador belga, que também trabalha como carteiro, admitiu que há cada vez mais jogadores do seu país a consumir cocaína. "Eles desaparecem por um momento, depois, quando regressam, surgem com os olhos maiores e a jogar melhor. Já perdi muitos jogos assim", contou.

Por seu lado, Stefaan Kausse, que já venceu alguns importantes torneios, nega que o desporto esteja a ser contaminado pelo uso de drogas.

"Há aquelas pessoas que bebem uma cerveja durante os jogos e ocasionalmente sentimos o cheiro da canábis no ar. Mas essas acusações dão a ideia de que todos os jogadores belgas andam a consumir cocaína. Isso não é verdade", disse.

No entanto, o jogador belga admite a possibilidade de existir alguns casos de doping na petanca e culpa o crescimento da competição. "O jogo é praticado a um nível cada vez mais elevado", explicou.

Confrontado com as acusações feitas aos jogadores belgas, Reinold Borré, presidente da Federação de Petanca da Flandres, disse que os jogadores que participam nas competições internacionais são submetidos a testes de despiste de droga.

O homem, que defende a instituição da petanca como desporto olímpico, explica que com mais dinheiro seria possível analisar melhor estas suspeitas. "Se nos tornarmos olímpicos, recebemos mais dinheiro. Depois será mais fácil resolver qualquer problema eventualmente relacionado com a cocaína", defendeu.