Desporto

Taça da Liga: Dérbi da honra

Taça da Liga: Dérbi da honra

A segunda edição da Taça da Liga tem este sábado o clímax no Estádio do Algarve, onde os dois grandes de Lisboa procurarão conquistar um título que lhes permita amenizar o momento agitado por que estão a passar. Por razões parecidas...

Treze anos depois, Sporting e Benfica voltam a encontrar-se na final de uma competição nacional, desta vez a Taça da Liga, uma prova criada há dois anos com o objectivo de proporcionar receitas extra para os clubes, mas que ainda não atingiu o estatuto desportivo pretendido. Águias e leões já admitiram que vencer o jogo de hoje à noite não chega para salvar a época, mas regressar a Lisboa com a taça nas mãos será suficiente para uma das equipas minorar os estragos criados pelos resultados das últimas semanas: o desastre europeu com o Bayern de Munique, no caso do Sporting; a derrota com o V. Guimarães e a descida ao terceiro lugar da Liga, no caso do Benfica.

Os treinadores também vivem situações similares, e não pelos melhores motivos, como ficou claro na inédita conferência de Imprensa conjunta que fizeram ontem. No coração dos adeptos, Paulo Bento e Quique Flores já viveram momentos mais agradáveis, estando o primeiro mais perto de sair de Alvalade no final da época do que de continuar, e o segundo, provavelmente, a caminho de uma situação muito complicada se não ganhar a partida de hoje. Como um dérbi é sempre um dérbi, seja qual for a prova em disputa, esta final tem os holofotes em cima, com o patrocinador a esfregar as mãos, tal como o canal televisivo que o vai transmitir, e as bancadas cheias...

No relvado, como é habitual dizer-se nestas alturas, não há favoritos. No campeonato, o Benfica ganhou na Luz ao Sporting (2-0), mas os leões responderam na segunda volta (3-2), num jogo ainda bem fresco na memória. Pode, até por isso, falar-se num tira-teimas em forma de final, que poderá funcionar para a equipa que vencer como o tónico ideal para não dar descanso ao F. C. Porto nas últimas oito jornadas da Liga.

Quique Flores tem todas as armas à disposição para o dérbi de hoje e é mais do que provável que faça alterações ao onze que começou o jogo que o Benfica perdeu na semana passada em casa com o Guimarães, perspectivando-se os regressos de Quim à baliza, de Rúben Amorim ao meio-campo e de Suazo ao ataque.

No Sporting, Paulo Bento recebeu ontem a má notícia de que não poderá contar com o russo Izmailov, dado como inapto depois de ter chegado a parecer certa a sua recuperação da uma tendinite no joelho direito. Poderá, assim, estar aberto o caminho para a entrada no onze de Romagnoli, embora Pereirinha também seja uma hipótese a considerar, tendo até em conta o que o jovem português fez no último embate entre os dias rivais. Liedson, que costuma caprichar nos jogos com o Benfica, e Derlei devem ter lugar garantido na frente.

ver mais vídeos