FCP

UEFA confirma F. C. Porto na Champions

UEFA confirma F. C. Porto na Champions

O F. C. Porto vai mesmo jogar a próxima edição da Liga dos Campeões. A confirmação chegou segunda-feira à noite, no site da UEFA, mas o acórdão do Comité de Apelo, já conhecido, já não deixava dúvidas.

O Benfica queixa-se da Federação e de João Leal. O facto de os processos que implicam o F. C. Porto não estarem concluídos em Portugal - no Conselho de Justiça (CJ) - levaram a UEFA a decidir pela inclusão definitiva dos dragões na Liga dos Campeões. F. C. Porto, Órgão de Controlo e Disciplina da UEFA, o instrutor do processo, Benfica e Guimarães, como partes interessadas, Federação Portuguesa de Futebol e os serviços da UEFA foram ontem notificados do acórdão do Comité de Apelo, que fundamenta a decisão basicamente com os riscos dos "fortes prejuízos" que poderiam ser causados ao F. C. Porto, caso se confirmasse a exclusão e posteriormente se verificasse que o recurso de Pinto da Costa para o Conselho de Justiça era atendido. O Comité de Apelo não dá, no entanto, a questão como encerrada e chega a admitir que os dragões possam vir a ser sancionados em 2009/10. Mas mesmo isso é improvável que aconteça, porque o mesmo Comité de Apelo pede à primeira instância, o Órgão de Controlo e Disciplina, que explique por que é que considera a questão administrativa e não disciplinar, chegando mesmo a recordar a jurisprudência de dois casos que o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) decidiu favoravelmente aos recorrentes e em que estavam em causa questões similares. Isto no caso, diz o acórdão, de o Órgão de Controlo e Disciplina, não querer rever a sua posição. Em causa está a questão da retroactividade, que o F. C. Porto defende que se aplica a esta situação, pois os ilícitos foram cometidos em 2004 e a norma só foi criada em 2007. Nas duas situações similares que chegaram ao TAS, uma do Anderlecht, contra a própria UEFA, e outra do ciclista espanhol Alejandro Valverde contra a UCI (União Ciclista Internacional), os recursos foram atendidos por situações que têm paralelo no caso do F. C. Porto. No clube belga, o TAS considerou que ninguém pode ser punido por normas posteriores à prática dos ilícitos; no caso de Valverde, o ciclista foi punido pela UCI, mas não pela Federação Espanhola. E os portistas foram punidos pela Comissão Disciplinar da Liga e não pelo Conselho de Justiça, que ainda analisa o recurso de Pinto da Costa, ao qual o clube se juntou posteriormente. Segundo apurou o JN, o CJ esteve ontem reunido e analisou vários processos, mas ainda nenhuma decisão foi tomada. Aliás, nem sequer se pode falar de uma data prevista, pois aquele órgão pretende analisar os factos à luz da ponderação. Os membros da Associação Europeia de Clubes (ECA) "ficaram satisfeitos" com a decisão de incluir o F. C. Porto na próxima edição da Liga dos Campeões, vincando a posição inicial de que posição da UEFA tinha sido precipitada: "A argumentação do F. C. Porto pareceu-me muito forte e lógica", sublinha Raul Sanllehí, porta-voz da ECA, recordando a reunião da semana passada, em Barcelona, onde estiveram Fernando Gomes e Paiva Brandão, do elenco portista.