Ciclismo

Volta a Portugal 2012 vai partir de Castelo Branco

Volta a Portugal 2012 vai partir de Castelo Branco

O director da Volta a Portugal de bicicleta, Joaquim Gomes, garantiu esta segunda-feira que a próxima edição da corrida vai partir de Castelo Branco e terminar em Lisboa, devendo realizar-se entre 15 e 26 de Agosto de 2012.

"Setenta e cinco por cento do percurso da Volta de 2012 está fechado. Vai, efectivamente, começar em Castelo Branco e acabar em Lisboa. Vamos ser intransigentes com a UCI, no sentido de serem viabilizadas as novas datas, devido à realização dos Jogos Olímpicos (Londres2012)", afirmou.

O responsável pela maior prova velocipédica portuguesa referia-se aos meios e tempo de antena que a RTP terá de investir no evento olímpico, algo que conflituaria com a corrida caso fosse disputada, como é hábito, nas duas primeiras semanas de Agosto.

"Podemos respirar de alívio nos próximos dias porque ultrapassámos muitas dificuldades, muitas dúvidas e muitas críticas, mas este banho de multidão e a festa que se viveu nestas últimas passagens aqui na meta, em Lisboa, fazem-nos confiar no futuro da prova", continuou.

Gomes, vencedor da corrida em 1989 e 1993, adiantou ainda que o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa, que acompanhou a etapa no carro do director da corrida, se mostrou disponível para, "pelo menos até 2013, a capital receber o início ou o final da Volta".

"Não sei o que vai acontecer nos próximos anos, com esta perspectiva de contenção de custos. Há duas alternativas: tentar manter o contexto actual, com mais equipas portuguesas de qualidade e algumas estrangeiras, no caminho da internacionalização, ou baixar temporariamente para a categoria nacional e aí, a federação teria autonomia até para recuperar os 21 dias de antigamente", sugeriu.

Em relação às eleições para a sucessão de Artur Lopes como presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, previstas para outubro de 2012, Gomes elogiou as "individualidades da modalidade" como o actual vice-presidente, Delmino Pereira, ou o director desportivo do Onda-Boavista, José Santos.

"Preenchem os requisitos necessários e suficientes. Uma possível candidatura da minha parte poderia colocar-me em areias movediças, uma vez que a PAD/JLS e a federação vão ter de negociar novamente, pois o contrato para a organização da Volta termina em 2013. Pretendi enviar uma mensagem e penso que o destinatário percebeu", concluiu, enigmático, sobre a sua anterior disponibilidade para concorrer ao cargo.

ver mais vídeos