Guerra

Ismaily no adeus à Ucrânia: "Triste ver país agredido de forma covarde pela Rússia"

Ismaily no adeus à Ucrânia: "Triste ver país agredido de forma covarde pela Rússia"

No adeus à Ucrânia e ao Shakhtar Donetsk, Ismaily, que em Portugal jogou pelo Olhanense e Sporting de Braga, confessa ser "triste ver um país e um povo tão acolhedor ser agredido de forma covarde pela Rússia".

Numa entrevista ao sítio "Globoesporte", Ismaily, defesa esquerdo, de 32 anos, admitiu que vai deixar o Shakhtar Donetsk, nove anos depois.

"Tinha apenas mais um ano de contrato. Com a suspensão dos contratos pela FIFA por esse período, o Shakhtar optou pela interrupção do meu contrato. O clube passa por um momento de dificuldade e eu entendo perfeitamente a decisão. Torço para que tenham um futuro", referiu o jogador.

PUB

No momento da despedida, Ismaily confessou que "é difícil ver o clube e o país numa situação tão difícil". "Foram nove anos na Ucrânia. Durante esse período, houve duas guerras. É triste ver um país e um povo tão acolhedor ser agredido de forma covarde pela Rússia", lamentou.

Quanto ao futuro, o jogador revelou que a sua prioridade é prosseguir a carreira na Europa, mas também admitiu conversas com alguns clubes brasileiros. "Quero fazer parte de um projeto sério, no qual me sinta capaz de contribuir", pormenorizou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG