Ginástica artística

Japonês Hashimoto garante ouro olímpico

Japonês Hashimoto garante ouro olímpico

O japonês Daiki Hashimoto sagrou-se campeão olímpico no concurso completo de ginástica artística de Tóquio 2020, prolongando a hegemonia do país organizador na prova "all-around" individual.

Hashimoto concluiu o concurso com um total de 88,465 pontos, ultrapassando no último aparelho o chinês Xiao Ruonteng (88.065 pontos) e o russo Nikita Nagornyy (88.031), graças a um exercício próximo da perfeição na barra fixa.

Aos 19 anos, Hashimoto tornou-se o mais jovem campeão olímpico, sucedendo ao compatriota Kohei Uchimura, vencedor da medalha de ouro no concurso completo em Londres 2012 e Rio 2016 e considerado um dos maiores ginastas de sempre, que optou por não defender o título em Tóquio.

O jovem atleta nipónico abordou o sexto e último aparelho no terceiro lugar, atrás de Xiao e Nagornyy, mas não acusou a inexperiência, nem a pressão, efetuando um exercício exemplar, que lhe valeu a pontuação de 14,933, mantida mesmo depois de um protesto da delegação chinesa.

O Japão também tinha protestado contra a pontuação de Hashimoto na prova de argolas, com idêntico desfecho, mas o novo campeão olímpico, que até esse momento tinha liderado a competição, manteve-se nas proximidades do ouro e conseguiu mesmo arrebatá-lo na última oportunidade.

Pendurado, imóvel, na barra fixa, o ginasta nipónico sabia exatamente o que precisava para subir ao lugar mais alto do pódio: uma pontuação de 14,533. Cinco movimentos vertiginosos sobre o aparelho e uma saída segura depois, Hashimoto nem precisou do veredicto dos juízes para celebrar.

Hashimoto permitiu ao Japão desforrar-se da derrota imposta pela Rússia -- e por Nagornyy - na final por equipas e fazer esquecer a ausência de Uchimura, que se lesionou no ombro durante as qualificações e decidiu disputar o acesso à barra fixa.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG