Desporto

Jesualdo teme "efeitos colaterais" de eventual destituição da direção

Jesualdo teme "efeitos colaterais" de eventual destituição da direção

O treinador do Sporting afirmou esta quinta-feira que "em cima de guerra é muito difícil construir coisas boas", alertando para os "efeitos colaterais" que uma tomada de posição em Assembleia Geral pode ter.

"Pessoalmente não me toca nada e não afeta nada o meu comportamento e forma de ser, mas em cima de guerra é muito difícil construir coisas boas. (Após) o apelo que fiz à claque para apoiar em massa, digo agora o mesmo, pois não vejo nenhum motivo para abandonar a equipa", disse Jesualdo Ferreira em conferência de imprensa.

Sobre os possíveis efeitos que uma Assembleia Geral no clube pode causar, Jesualdo Ferreira pediu a todos para pensarem bem no que podem provocar, referindo-se à intenção de uma grupo de sócios em destituir a direção liderada por Godinho Lopes.

PUB

"Entendo que é o momento de se pensar nos efeitos colaterais que uma má posição de toda a gente pode causar à equipa e ao Sporting", defendeu.

Sobre o regresso da claque Juventude Leonina ao apoio à equipa, o técnico mostrou-se satisfeito.

"Fico feliz, porque sentimos que é o momento de a família do Sporting se juntar e de durante 90 minutos esquecerem os problemas e apoiarem a equipa. É assim que eu entendo a paixão pelo clube", concluiu.

Um grupo de sócios requereu a realição de uma Assembleia Geral para discutir o afastamento da atual direção, numa época em que o Sporting tem apresentado os piores resultados da sua história.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG