Futebol

João Henriques: "Temos que fazer jogo perfeito com o F. C. Porto"

João Henriques: "Temos que fazer jogo perfeito com o F. C. Porto"

João Henriques, treinador do Santa Clara, defende que só "uma partida perfeita" garante um bom resultado frente ao F. C. Porto, na deslocação ao estádio do Dragão, este sábado, para a 30.ª jornada do campeonato.

"Temos que fazer uma partida perfeita e, mesmo assim, isso não nos garante que consigamos o resultado que queremos", advertiu João Henriques, em conferência de imprensa, relativa ao jogo com o campeão nacional e atual segundo classificado do campeonato, em igualdade pontual com o líder Benfica.

O técnico espera que o Santa Clara se apresente como "uma equipa competente, competitiva, intensa e organizada", já que, "contra um adversário com este poderio, com esta competência, com esta qualidade, ao mínimo erro" o clube açoriano pode "ficar em desvantagem no marcador e perder o jogo".

Com a manutenção garantida, o Santa Clara enfrenta uma equipa que disputa o título "sem o peso da necessidade imperativa de ter pontos", um fator que "pode libertar os jogadores para demonstrarem a sua qualidade individual e colocarem em campo toda a organização e trabalho coletivo".

Ainda assim, o objetivo do Santa Clara, que na primeira volta perdeu por 2-1 na receção ao F. C. Porto, continua a ser "alcançar o sétimo lugar, somar pontos em todas as jornadas", embora o treinador admita que "a probabilidade, neste jogo, é mais reduzida do que o normal".

Sobre as condições em que vai encontrar o F. C. Porto, que foi eliminado na quarta-feira pelo Liverpool da Liga dos Campeões, o técnico considerou que os 'dragões', "apesar de, obviamente, terem esta sequência de jogos que pesa, não deixam de ser competentes, uma equipa forte e que vai fazer neste jogo exatamente aquilo que tem feito à maioria das equipas".

"As equipas que nos representam na Liga dos Campeões, Liga Europa, deviam ser protegidas com esta sequência de jogos", admitiu João Henriques, acrescentando que preferia enfrentar os 'azuis e brancos' "sem esta questão, porque assim seria mais justo".