Benfica

John Textor diz que Vieira conhecia acordo e quer melhorar proposta

John Textor diz que Vieira conhecia acordo e quer melhorar proposta

John Textor, empresário que deseja investir na SAD do Benfica, alega, em comunicado, que Luís Filipe Vieira ficou a saber da operação para a venda das ações com José António Santos, um dia depois do acordo. E garante que visitou o Seixal e o Estádio da Luz. Empresário promete melhorar oferta.

John Textor, empresário norte-americano que assinou um acordo com José António dos Santos para adquirir 25% das ações do Benfica, alegou esta quinta-feira, num extenso comunicado, que o antigo presidente do Benfica ficou a conhecer a operação, um dia depois de selar o acordo com o empresário conhecido como "Rei dos Frangos", em Lisboa.

"Tive a sorte de ter uma breve reunião com o Sr. Vieira, no dia seguinte à minha assinatura do acordo com o Sr. Santos. Foi breve, conduzido através de um tradutor, e senti-me confortável com o facto de o Sr. Vieira valorizar a minha pretendida contribuição para o SL Benfica. Obviamente, seria comum que um comprador de 25% solicitasse tal reunião e necessário que a liderança soubesse quem estava potencialmente comprando ações", refere o responsável, salientando que o presidente do clube não havia tido "qualquer envolvimento no contrato com o senhor (José António) Santos".

O norte-americano sublinha que esteve no complexo das águias. "Visitei todas as instalações relevantes do SL Benfica ... o estádio, os estúdios da Benfica TV, o campus da Academia. Senti-me muito bem-vindo e isso parecia normal para um novo acionista. Então, por que é que alguém deveria considerar essas reuniões secretas? Não tinha controlo sobre quem falava, mas fiz um tour pelo SL Benfica 'ao sol', sendo constantemente fotografado ao longo do caminho, ao mesmo tempo que era apresentado abertamente a várias pessoas. Para mim, este foi um grande dia ... um sonho que se tornou realidade", destacou.

O responsável alega ter solicitado uma reunião com a equipa de gestão e que o contrato para selar o acordo seria fechado a 15 de setembro.

O potencial investidor não se considera uma "entidade concorrente", figura que permite à SAD fundamentar a recusa da operação nos termos dos estatutos e promete melhorar a proposta inicial. Compromete-se adquirir as ações de qualquer eventual acionista que deseje sair e ajuda no empréstimo obrigacionista.

"Vou financiar imediatamente a parte não financiada da emissão de títulos", refere.

PUB

John Textor que anunciou que virá a Lisboa na próxima semana - o JN sabe que não existe intenção da SAD de receber o empresário - acaba por reconhecer que os dirigentes encarnados não estão recetivos a aceitar as suas ideias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG