Futsal

Jorge Braz dá "lição" em Montalegre e alimenta os sonhos dos "petizes"

Jorge Braz dá "lição" em Montalegre e alimenta os sonhos dos "petizes"

A Academia de Futebol e Futsal Abelhas Azuis, em Montalegre, treinou, esta segunda-feira, sob o olhar atento do selecionador de futsal, Jorge Braz, que, além de dar conselhos aos "petizes", garantiu-lhes que o sucesso está ao alcance de todos.

O treino desta segunda-feira dificilmente sairá da memória dos jogadores de futsal da Academia Abelhas Azuis, em Montalegre. Ainda que, a alguns, a presença do selecionador português de futsal, Jorge Braz, tenha causado "nervosismo", no final, entre conselhos, dicas e a oportunidade de tirar uma fotografia com o "ídolo" que tanto admiram, o balanço foi positivo.

Para Micael Seixas, do escalão de iniciados, receber a visita do selecionador nacional, que considera "uma inspiração", era, até então, algo "inimaginável", até porque "oportunidades destas não se veem todos os dias".

PUB

"Foi especial para mim e para todos os meus colegas. Vou continuar a treinar com afinco, na esperança de que, algum dia, possa chegar a este nível. Quando for grande, se possível, gostaria de ser jogador de futsal e ganhar muitos títulos pela seleção", revelou o jogador de 13 anos.

O mesmo deseja Mariana Pinto, do mesmo escalão, que encara o futsal como "um desafio". Embora não tenha encontrado palavras para "explicar" o que sentiu ao ver o selecionador ali "tão perto", fez um balanço positivo do treino e promete "dar uso" aos conselhos deixados por Jorge Braz.

Já o colega Miguel Rodrigues que, embora "nervoso", também esteve atento à 'lição', em especial ao que à importância dos estudos diz respeito, deixou a promessa de que vai conciliar melhor as duas responsabilidades.

"Quando não tenho nada para fazer, pego numa bola e vou jogar. É o que mais gosto de fazer, mas sei que temos de nos esforçar na escola e no futsal, ao mesmo tempo", referiu o benjamim, à agência Lusa.

Através do exemplo de vários jogadores que singraram no futsal e chegaram à seleção nacional, sem nunca terem "deixado de estudar" e que, hoje, são "campeões da Europa e campeões do mundo", dirigindo-se aos jogadores presentes, Jorge Braz reiterou a importância de conciliar os estudos com a prática desportiva, garantindo que ser bom aluno "ajuda a ser bom jogador".

No rescaldo do treino, Álvaro Santos, coordenador do futsal das Abelhas Azuis, não tem dúvidas de que estes ensinamentos do selecionador nacional vão ficar "para sempre na memória dos miúdos".

"Foi um dia muito especial. Trouxemos aqui duas pessoas [Jorge Braz e Emídio Rodrigues] que, além de serem transmontanos, são dois campeões do mundo, mas, acima de tudo, são dois grandes seres humanos", frisou.

Para o responsável, o grande objetivo da visita de Jorge Braz e de Emídio Rodrigues, selecionador de sub-15, passou por demonstrar aos "mais pequenos" que o trabalho dá frutos e que, um dia, podem ser eles a alcançar "grandes feitos".

"Quisemos que percebessem que é preciso perseguir os sonhos e lutar pelos objetivos. Se o fizerem, serão grandes profissionais na área que mais gostarem. Estamos aqui para formar os miúdos e sabemos que uma boa parte deles não vai ser jogador de futsal. O importante é que pratiquem uma atividade desportiva e consigam conciliá-la com a vertente escolar para 'amanhã' serem grandes homens e grandes mulheres. A nossa vitória será essa", concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG