Benfica

Jorge Jesus: "Só podia haver um vencedor e passar a eliminatória e era o Benfica"

Jorge Jesus: "Só podia haver um vencedor e passar a eliminatória e era o Benfica"

O treinador do Benfica, Jorge Jesus, considera que as ásguias foram melhores frente ao Vitória de Guimarães e mereceram passar às meias-finais da Taça da LIga, depois do triunfo nas grandes penalidades por 4-1, após o 1-1 no final dos 90 minutos.

"Não é o apuramento da paciência, é o apuramento da melhor equipa. Fizemos 15 remates à baliza do Vitória de Guimarães. Este Vitória de Guimarães eliminou o Benfica o ano passado nesta competição. Na primeira parte, a única vez que foram à nossa baliza fizeram um golo. Não é fácil ter jogadores com a qualidade posicional com que o Benfica joga. Soubemos criar oportunidades para marcar golo. Só podia haver um vencedor e passar a eliminatória e era o Benfica. O Vitória de Guimarães fez o que pôde. Foi obrigado a jogar dentro da sua área. O Benfica obriga os adversários a ter de defender muito", defendeu o técnico das águias.

E continuou sobre a análise à partida: "Este jogo justifica-se pelo apuramento do Benfica nas grandes penalidades e foi melhor no jogo. Se não passássemos a eliminatória fazia a mesma análise. O futebol é isto. O futebol é o unico desporto coletivo que podes fazer 10 oportunidades de golo e não marcar e o adversário uma e marcar. Ao intervalo disse aos jogadores que íamos sair vencedores deste jogo".

O médio Pizzi, autor do golo do empate, mereceu elogios de Jorge Jesus. "Eu tenho de começar a jogar com aquilo que vou vendo no jogo. As subsituições foram melhorando a capacidade ofenvisa do Benfica. Repara que acabamos o jogo com cinco avançados. Eu joguei com as pedras todas. Ia entrar Gonçalo Ramos, mas já não foi preciso. Eu estou no banco e tenho de fazer tudo para ajudar os meus jogadores, posso não ajudar, mas até agora tem corrido bem", salientou.

O técnico das águias também abordou o encontro da Taça de Portugal com o Estrela da Amadora, clube que, treinou entre 1998 e 2000 e entre 2001 e 2003. "É um jogo especial, o meu clube do coração, foi ali que me fiz jogador, treinador. É onde nasci. Depois do Estrela ter passado alguns anos fora do futebol de topo está a aparecer, fico feliz por voltar à minha terra", finalizou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG