Futebol

Jornal argentino relata últimos momentos de Maradona

Jornal argentino relata últimos momentos de Maradona

O jornal argentino Clarín conta na edição online aqueles que terão sido, alegadamente, os últimos momentos da vida de Diego Maradona, que faleceu esta quarta-feira vítima de paragem cardiorrespiratória, poucos dias depois de ter sido operado à cabeça.

Segundo o órgão de comunicação social, Diego Maradona ter-se-á levantado por voltas das 10 horas, mas sentiu-se mal e voltou a deitar-se. O antigo craque estava acompanhado dos fiéis "guardiões", Maximiliano Pomargo e Johnny Espósito, que não ficaram tranquilos com o estado de saúde e prontamente terão começado a contactar aqueles que estão mais próximos de "El Pibe".

O médico Leopoldo Luque, o amigo e advogado Matías Morla e as filhas que vivem na Argentina - Dalma, Gianinna e Jana - foram informados do que se estava a passar com o astro da alviceleste.

PUB

Por volta do meio-dia, no bairro de San Andrés, onde residia a estrela do futebol mundial, já se encontravam várias ambulâncias, com as equipas médicas a tentarem tudo por tudo para fazer o milagre de o devolver à vida. Mas a paragem cardiorrespiratória foi irreversível e o 25 de novembro de 2020 ficara para a história como o dia em que "D10S" morreu.

"Morreu Diego Armando Maradona", anunciou, em primeira mão o Clarín, após confirmar a notícia junto de duas fontes próximas do jogador.

O jornal adianta que nos últimos dias o antigo jogador estava ansioso, deprimido e angustiado, pelo que tanto o médico, como a psiquiatra Agustina Cosachov estavam a analisar o "Plano de Regresso a Cuba", para que Maradona pudesse voltar à terra do grande amigo Fidel Castro.

Sabendo do estado de saúde de Maradona, foi o próprio filho de Castro, Tony, que contactou a família do antigo 10 para endereçar o convite para ele recuperar em Cuba, onde teria a estadia e privacidade que tanto precisava.

Mas esta quarta-feira o coração traiu Diego e deixou o Mundo sem um ídolo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG