Real Madrid

José Mourinho confiante para segunda mão apesar da derrota

José Mourinho confiante para segunda mão apesar da derrota

O treinador português do Real Madrid, José Mourinho, disse estar confiante para o encontro da segunda mão das meias-finais da Liga dos Campeões de futebol, apesar da derrota (2-1) com o Bayern Munique.

"É uma derrota que não deixa sensações negativas. O que perdemos na temporada passada, todos sabemos como o perdemos. Hoje, perdemos uma partida com todos os condimentos, que não merecíamos perder. Temos agora um jogo no Bernabeu e não temos que fazer qualquer reviravolta histórica", disse o técnico.

José Mourinho disse que o 2-1 não é um resultado que se deseje, mas que pode ser recuperado, tendo ainda defendido o internacional português Fábio Coentrão, considerado culpado.

"Estou longe e não sei. Há gente que cometeu erros noutros encontros e não se disse nada, e agora questiona-se um jogador que fez uma grande partida", disse.

José Mourinho referiu-se ainda a um erro no lance do primeiro golo, queixando-se de um fora de jogo, mas sem atribuir culpas da derrota à arbitragem.

"É muito difícil ganhar uma meia-final em um só jogo, conseguir um resultado que te meta logo na final. É um resultado injusto, com um primeiro golo em fora de jogo, mas os erros dos árbitros são normais, por isso não há problema", sublinhou o técnico, que se mantém otimista para a segunda mão.

O alemão Jupp Heynckes, responsável técnico do Bayern Munique, realçou no final que o Real Madrid é uma equipa com muitas taças dos campeões, mas a sua equipa mereceu a vitória.

"Todos os meus cumprimentos para a equipa, que se bateu duramente e efetuou um grande jogo. Claro que não podia substituir o Mário (Gomez) hoje. Ele trabalhou duramente durante os 90 minutos, recuperou bolas perdidas e mereceu marcar o golo da vitória", disse Heynckes.

Apesar de se referir a "ligeiros erros de arbitragem", em prejuízo das duas formações, Heynckes preferiu sublinhar o caráter duro das meias-finais da Liga dos Campeões, que considerou serem sempre muito físicas, e deu como exemplo os embates contra as equipas italianas, "que foram sempre duras batalhas e disputadas no limite das regras".

Em relação à forma como vai abordar o encontro da segunda mão, o técnico germânico disse que não vai para defender o empate, mas que ainda não sabe que tipo de tática apresentará, apenas que vai tentar ganhar o jogo.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG