Sporting

José Peseiro quer o regresso de alguns jogadores que rescindiram

José Peseiro quer o regresso de alguns jogadores que rescindiram

José Peseiro considerou, na sua apresentação como treinador do Sporting, que a situação que o clube atravessa não irá impedir a construção de uma grande equipa que lute pelo título.

"O Sporting não vai acabar se não for possível recuperar alguns dos jogadores que rescindiram, mas a primeira prioridade é a reversão desses processos de rescisão. Com celeridade e sem precipitações, vamos analisar e escolher bem e com inteligência para que no presente quadro nada impeça que o Sporting construa uma grande equipa e lute pelo título", disse o novo treinador dos "leões" na sua apresentação no Estádio de Alvalade, este domingo ao início da tarde.

Neste contexto, José Peseiro entende que a situação requer medidas céleres, mas também ponderação sobre o plantel: "O tempo escasseia, mas não vamos fazer nada à pressa. Temos jogadores com muito valor neste plantel e temos de perceber quem pode sair e quais os que podem regressar. Estamos atrasados, mas não desesperados. Vamos fazer as coisas com qualidade, o futebol do clube não pode parar e confio que escolheremos o caminho certo".

O novo técnico leonino, que assinou contrato por um ano, com outro de opção, deixou uma mensagem aos associados do clube para que se crie "um elo de ligação" entre eles e a equipa, de dentro para fora, mas também o inverso, para que haja alguma tolerância e compreensão quando surgirem os primeiros jogos de preparação e o primeiro jogo oficial.

"Não vale a pena iludir a realidade. Partimos atrás dos nossos rivais pela instabilidade dos últimos tempos e o facto de não sabermos com que plantel contamos quando a época oficial se está a iniciar, é um contratempo. Mas não é hora para lamentar nem para arranjar desculpas", disse Peseiro, que promete ser mais objetivo dentro de dois meses sobre aquisições e saídas de jogadores.

O novo treinador "puxou dos galões" para relembrar que o Sporting só lutou pelo título nos últimos 20 anos uma vez com Paulo Bento, duas com Jorge Jesus e outra com ele, além de ter conduzido a equipa à final da Taça UEFA.

"Não tenho medo deste desafio. Sinto a responsabilidade e a exigência, mas também tenho a ilusão e a ambição de lutar por títulos no Sporting. Continuo a querer uma equipa a jogar bem, mas ligando isso aos resultados, sabendo que jogando melhor é mais fácil ganhar", disse José Peseiro.

Neste ponto, considera que não mudou, apesar da experiência que adquiriu ao longo dos anos, nos quais foi "aprimorando" as suas competências no sentido do equilíbrio, de modo a "conciliar uma filosofia de jogo que privilegie o futebol ofensivo com a eficácia e os resultados".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG