Ciclismo

Lance Armstrong escapa a consequências judiciais

Lance Armstrong escapa a consequências judiciais

Lance Armstrong não deverá ser processado pela justiça norte-americana apesar de ter reconhecido o recurso ao doping, revelou, esta terça-feira, o procurador que dirigiu uma investigação federal sobre o antigo ciclista.

O procurador Andre Birote não excluiu completamente uma eventual ação judicial, no entanto, na sua opinião, as recentes revelações do texano nada mudam.

"Tomámos uma decisão quanto a esse dossier há pouco mais de um ano", respondeu Birote quando questionado, durante uma conferência de imprensa em Washington, sobre o facto de Armstrong ter mentido a agentes federais.

O procurador reconheceu ter "plena consciência" das recentes declarações do antigo corredor, que revelou numa entrevista a Oprah Winfrey ter-se dopado em grande parte da sua carreira, mas assegurou não ter mudado de opinião até ao momento.

"Obviamente, vamos continuar a acompanhar a situação", acrescentou.

Depois de anos de negações, inclusive em interrogatórios federais, Armstrong, de 41 anos, admitiu o recurso ao doping, e a "confissão" levantou numerosas questões jurídicas, nomeadamente se seria processado por perjúrio ou obrigado a devolver os prémios e patrocínios que recebeu durante a sua carreira.

Em outubro de 2012, o antigo ciclista foi formalmente desclassificado de todos os resultados desportivos desde 1998, incluindo as sete vitórias na Volta a França, e irradiado do desporto, na sequência da investigação da Agência antidopagem dos Estados Unidos (USADA) que pormenorizou o seu envolvimento no "sistema de dopagem mais sofisticado da história do desporto".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG