Sporting - Famalicão

Leão marca passo e perde almofada de tranquilidade

Leão marca passo e perde almofada de tranquilidade

Líder da Liga soma o segundo empate consecutivo e está agora com seis pontos de vantagem sobre o F. C. Porto, segundo classificado

Depois da escorregadela em Moreira de Conegos, o Sporting voltou a marcar passo na Liga ao empatar diante do Famalicão (1-1), e a reduzir a vantagem da liderança para o rival F. C. Porto, agora de seis pontos. O onze de Ruben Amorim continua a deter um avanço considerável e confortável para atacar a reta final da competição, mas perdeu parte da margem que lhe concedia tranquilidade para cumprir a tarefa num calendário complexo.

Num teste à capacidade de reação face à adversidade do resultado anterior, a equipa superiorizou-se em vários momentos da discussão e dispôs de oportunidades para vencer. No entanto, tremeu nos momentos decisivos e também não revelou o poder de subjugar o oponente de forma convincente. Apertou-o, sim, já na fase final, porém, não foi, durante a maioria do duelo, a formação guerreira, intensa e dominante para impor a sua vontade mais cedo.

Parte da incapacidade deve também atribuir-se ao mérito do adversário. O Famalicão, versão Ivo Vieira, gosta de ter a bola e de jogar com critério e sentido estético. Manteve-se fiel a esse princípio e reagiu de forma instantânea depois de ter sido ferido. Soube sofrer na parte final e parou novamente o leão. O Sporting sentiu dificuldade, na fase inicial, em atacar o espaço nas costas da defesa contrária, que surgiu adiantada, e preferiu explorar a via esquerda onde Nuno Mendes e João Mário estiveram mais ativos. O Famalicão, por sua vez, apostou num jogo rendilhado com progressão segura pelo eixo alterando com uma aposta no flanco esquerdo, onde Vinagre e Ivan Jaime aumentavam a rotação.

A equação seria, no entanto, desbloqueada com Pedro Gonçalves a punir uma saída de risco de Ivan Jaime. Pensou-se que leão poderia aproveitar o momento, mas a resposta famalicense foi instantânea e Anderson fez o empate.
Ruben Amorim idealizou várias alterações que colocaram a equipa mais pressionante, mas o verdadeiro cerco ao castelo famalicense só se deu perto do final. Aí, Jovane tremeu num momento decisivo, algo que Tiago Tomás havia feito mais cedo.

Veja o resumo do jogo:

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG