Futebol

Leça denuncia ameaças em jogo de sub-13

Leça denuncia ameaças em jogo de sub-13

Leceiros denunciam agressão a um jogador e insegurança no complexo desportivo do Pasteleira. Clube portuense questiona a veracidade do relatado no comunicado e aponta o dedo à atitude de um adepto do Leça após o jogo.

Um jovem atleta da equipa sub-13 do Leça teve ser assistido no Hospital da CUF, no Porto, após ter sido agredido, no passado sábado, por um jogador da Associação Desportiva e Recreativa da Pasteleira com "um soco e um pontapé na cabeça", denuncia o clube leceiro, em comunicado.

Ainda de acordo com a nota publicada nas redes sociais do Leça, no final do encontro, referente à 2.ª Divisão de juniores D da A. F. Porto, "os encarregados de educação do atleta agredido foram ameaçados e intimidados por elementos do público que estava a apoiar a Associação Desportiva e Recreativa da Pasteleira".

PUB

Versão totalmente distinta tem Bruno Sousa, responsável pela SDUQ do Pasteleira, que fala num comunicado que "não tem nada que ver com o que aconteceu".

O dirigente confirma a agressão de "um jogador que nunca tinha sido expulso ou tido uma atitude como esta e que, no final, foi pedir desculpa ao árbitro, a chorar". Justifica-a com "insultos por parte dos jogadores do Leça durante o jogo", com o objetivo de o expulsar. "O nosso jogador viu o vermelho, o jogo prosseguiu e, ao contrário do que diz o comunicado, o miúdo do Leça continuou a jogar, não teve de sair", acrescenta Bruno Sousa, que também refuta as críticas de insegurança no complexo desportivo do clube.

"Não se passou nada, a não ser o pai do miúdo do Leça que quis oferecer porrada ao jogador que foi expulso", explica.

O Leça promete fazer uma exposição à A. F. Porto sobre o ocorrido. O Pasteleira também já interpelou a associação sobre o caso e prepara um comunicado sobre o mesmo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG