O Jogo ao Vivo

Taça da Liga

Leões tiveram mão para carimbar o passaporte

Leões tiveram mão para carimbar o passaporte

Lance capital na segunda parte, com Rui Costa a oferecer o braço à bola, permitiu ao Sporting assinar a reviravolta e disputar a final com o Benfica.

Após um cinclo negativo, com duas derrotas em três jogos no campeonato, o Sporting reencontrou-se esta quarta-feira em Leiria e apurou-se para a final da Taça da Liga após derrotar o Santa Clara, por 2-1. A exibição não foi muito famosa, a equipa leonina esteve a perder, mas conseguiu a reviravolta graças ao momento chave da partida: Rui Costa foi expulso, aos 64 minutos, num lance por oferecer o braço à bola, e Sarabia colocou o marcador a favor dos leões, ao converter de penálti.

Em vantagem e com mais um jogador em campo, o segundo período acabou por ser bastante mais fácil do que a etapa inicial. Nos primeiros 45 minutos, o campeão nacional teve sinal mais, mas o controlo não foi sinónimo de eficácia. Um pontapé pleno de inspiração de Lincoln, aos 30 minutos, após a marcação de um livre direto, deu vantagem ao conjunto açoriano. A barreira, mal formada, facilitou a tarefa ao brasileiro, que nesta época se tem mostrado um especialista nas bolas paradas.

PUB

Os leões, que surgiram em campo com várias alterações, com destaque para a presença de Palhinha e de Ugarte no meio-campo e para a ausência de Paulinho - Tabata foi o substituto -, na primeira parte voltaram a ser macios na defesa e atabalhoados no ataque. Exceção a um bom lance de Sarabia, que rematou para defesa segura de Ricardo Fernandes, apenas conseguiram fazer a diferença mercê de um autogolo de Villanueva.

Apesar de ter conseguido o principal objetivo, o de marcar antes do intervalo, o último reduto dos leões voltou a conceder facilidades numa bola parada do Santa Clara. Cryzan cabeceou à barra, um tremendo susto para a equipa de Amorim.

Na segunda parte, o Sporting entrou com força, marcou por Tabata, mas o golo foi anulado. Depois do segundo golo, o jogo acalmou, Amorim fez substituições estratégicas já a pensar na final, e o Santa Clara, sem as mesmas armas, tentou apenas ataques esporádicos. No fim, Paulinho falhou o 3-1 de baliza aberta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG