Futebol

Liga esclarece mecanismos para levar a época até ao fim

Liga esclarece mecanismos para levar a época até ao fim

Entidade explicou esta terça-feira as regras em vigor no que diz respeito à realização ou adiamento de jogos nas ligas profissionais devido à pandemia de covid-19.

Os contornos da realização do Belenenses SAD-Benfica, em que os azuis foram a jogo com apenas nove jogadores e que terminou, com o resultado em 0-7, ao fim de 46 minutos, devido a duas lesões na equipa da casa, motivaram mudanças nos Regulamentos das Competições profissionais, confirmadas a 21 de dezembro, em Assembleia-geral extraordinária.

Nesse dia, os clubes votaram a favor de que, excecionalmente devido à pandemia, nenhum jogo fosse realizado se uma das equipas não tivesse, pelo menos, 13 futebolistas disponíveis de entre os inscritos na Liga de Clubes, sendo um deles guarda-redes. No entanto, o recente surto que assolou o Estoril antes da receção ao F. C. Porto motivou dúvidas sobre a realização desse jogo, algo que a Liga vem agora esclarecer, começando por dizer que "tem usado todos os mecanismos legais e regulamentares para que a Liga Portugal bwin e a Liga Portugal SABSEG terminem a época 2021-22". Os estorilistas quiseram adiar o jogo, vontade que lhes foi negada pelos portistas, que tinham os novos regulamentos para sustentar essa decisão.

"O aumento de casos positivos nos próximos dias, segundo as expectativas dos especialistas de saúde, é condicionante para o Futebol Profissional, mas algo que todos devemos esperar", salienta a entidade, explicando todos os mecanismo que estão em vigor para garantir o normal desenrolar das competições.

"Em que circunstância é possível adiar um jogo da Liga Portugal bwin ou da Liga Portugal SABSEG, face à pandemia de SARS-CoV-2? O plantel em causa ter, comprovadamente, menos de 13 jogadores (incluindo um guarda-redes) da lista de inscritos, aptos a jogar", lê-se no comunicado, acrescentando que "mesmo com mais de 13 jogadores disponíveis, é possível um clube solicitar o adiamento ao adversário, que pode, ou não, aceitar o pedido". "A Liga Portugal, em caso de acordo expresso dos dois clubes para o adiamento, nunca se opôs à situação, desde que garantido o cumprimento das normas aplicáveis em matéria de adiamento, havendo datas livres no calendário e com a anuência do operador televisivo", esclarece a nota.

Neste sentido, a Liga dá conta de que "a inaptidão dos jogadores de tem de ser atestada até ao início do jogo", ou pela Direção-Geral de Saúde, "no caso de despiste positivo de SARS-CoV-2 e/ou isolamento profilático de jogadores do plantel", ou pelo médico do Serviço Nacional de Saúde, no caso de surto de outra doença contagiosa, vírica ou bacteriana, que determine incapacidade para jogar, ou pelo "médico do clube, no caso de lesão ou doença por outras causas, a confirmar por médico do SNS em atestado assinado e com a sua vinheta, entregue à Liga Portugal no prazo de 24h".

A Liga de Clubes reforça ainda que o número mínimo de 13 jogadores foi definido, seguindo "boas práticas internacionais". Espanha, Inglaterra e Itália são alguns dos países que optaram pela mesma solução, enquanto a Alemanha fixou em 16 jogadores (com 9 da equipa principal e um guarda-redes) o limite mínimo. Na liga francesa, o mínimo são 20.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG