Pandemia

Suspensão do futebol volta a ensombrar o futebol escocês

Suspensão do futebol volta a ensombrar o futebol escocês

Os jogos de Celtic e Aberdeen foram adiados por infrações às regras sanitárias impostas para travar a pandemia de covid-19, 10 dias após o início da competição, anunciou a Liga escocesa. Governo ameaça interromper competição.

A visita do Celtic ao St. Mirren e a receção do Aberdeen ao Hamilton, da terceira jornada, agendados para quarta-feira, assim como o encontro entre os dois clubes (Celtic e Aberdeen), da ronda seguinte, previsto para sábado, em Glasgow, não vai realizar-se para já, indicou a Liga escocesa (SFPL) em comunicado.

O defesa belga do Celtic Boli Bolingoli reconheceu não ter cumprido quarentena no regresso de férias em Espanha, apesar de ter jogado frente ao Kilmarnock (1-1), no domingo.

O clube anunciou a abertura de um inquérito, enquanto o jogador já apresentou um pedido de desculpas. O incidente com Boli Bolingoli juntou-se à polémica passagem num bar durante a semana passada de oito jogadores do Aberdeen, dos quais dois tiveram testes positivos à covid-19, levando ao adiamento do encontro do clube com o St. Johnstone.

Também a primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, se pronunciou esta terça-feira, em conferência de imprensa, sobre o adiamento: "No mínimo, vocês não devem esperar ver o Celtic e o Aberdeen jogarem esta semana e veremos que outras conclusões vamos tirar".

Nicola Sturgeon salientou que este comportamento "não é aceitável" e, em comunicado, o Governo disse estar a apurar os factos, admitindo interromper as competições futebolistas.

"Todos os dias vimos aqui pedir às pessoas que façam grandes sacrifícios na forma como vivem a vida deles e a maior parte deles fazem isso. E não é fácil. Não podemos ter jogadores de futebol privilegiados a decidirem que não se vão preocupar. Isto não pode continuar. Quero chegar a um ponto em que clubes e jogadores vivam de acordo com as suas responsabilidades, porque não quero que o preço disto seja pago pelos adeptos de futebol que querem ver os jogos, embora não possam ir normalmente aos estádios para assistirem como espectadores. E não quero que o preço disto seja pago por clubes e jogadores de futebol que cumprem as responsabilidades", frisou a primeira-ministra, deixando um aviso: "Colocando isto numa linguagem clara que o mundo do futebol perceba: considerem isto um cartão amarelo, mas da próxima vez será um vermelho, porque não nos deixam qualquer outra alternativa".

PUB

O campeonato foi iniciado a 1 de agosto e, desde então, foram disputados 11 jogos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG