Futebol

Luís Filipe Vieira anuncia fim da carreira de Pedro Mantorras

Luís Filipe Vieira anuncia fim da carreira de Pedro Mantorras

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, afirmou este sábado que Pedro Mantorras entendeu que "chegou o tempo de parar de lutar contra o sofrimento", mas garantiu que o avançado angolano "nunca deixará o clube".

Luís Filipe Vieira esteve este sábado na Charneca da Caparica e no Seixal, onde inaugurou duas casas do Benfica, deixando uma palavra ao internacional angolano, que vai deixar o futebol depois dos problemas físicos que nunca o largaram.

"O Pedro é um exemplo de entrega, de sacrifício, de superação. É um exemplo de optimismo e de persistência. Alguém que nunca deixou de lutar, que sempre superou as dificuldades por que passou", afirmou.

O presidente do Benfica, emocionado, lembrou que acompanhou a luta de Pedro Mantorras e a sua capacidade de resistir, sendo por isso que se conseguiu "manter no futebol".

"Este é, porém, o momento em que o Pedro decidiu que chegou o tempo de parar de lutar contra o sofrimento, contra as dores e contra as limitações físicas que o impediram de ser o que ele merecia e podia ter sido: uma referência mundial do futebol", salientou.

O presidente do Benfica afirmou ainda que tem uma "ligação forte" com Mantorras e que chegou o momento de "retribuir", referindo que todos devem ter "orgulho na pessoa, no carácter e no profissionalismo" do internacional angolano.

"É evidente que ele nunca deixará o Benfica, porque ele faz parte desta casa. Faz parte da nossa história e encarna os valores que fazem do Benfica o clube que todos conhecemos", concluiu.

Luís Filipe Vieira anunciou ainda que o clube vai promover uma despedida formal a Mantorras com "a dignidade e o carinho que o Pedro merece".

Mantorras ingressou no Benfica em 2001/2002, proveniente do Alverca, e fez uma primeira época impressionante ao serviço dos "encarnados", com 13 golos em 30 jogos no principal campeonato português.

Depois, as lesões atingiram-no e jamais o largaram, mas não o impediram, ainda assim, de ser decisivo na conquista do título de 2004/2005, após um jejum que durava desde 1993/94.

Outros Artigos Recomendados