Futebol

Luís Filipe Vieira responde a críticos: "Se não houver negócio, nada temos"

Luís Filipe Vieira responde a críticos: "Se não houver negócio, nada temos"

O presidente do Benfica garantiu, este sábado, que caso vença as eleições o próximo mandato será a pensar na "vertente desportiva" e respondeu às críticas de quem o acusa a ver o clube como "um negócio".

"Nos próximos quatro anos o objetivo claro é desportivo. Seja no futebol, seja nas modalidades. O objetivo será ganhar, ganhar, ganhar. E nunca descurar a formação. Às vezes vemos as notícias e pensamos, em que mundo ou em que clube é que estou, se calhar estou no Carcavelinhos ou noutro lado. Logicamente que o Benfica tem um diretor desportivo, um diretor-geral do Benfica Campus, um diretor técnico, um líder do scouting, um scouting da formação, um CEO, um presidente. Isto é claro para toda a gente. E quem estiver atento sabe perfeitamente os nomes", começou por dizer o líder dos encarnados durante uma visita à Casa do Benfica de Viseu.

Sobre quem o acusa de ver o clube como um "negócio", Vieira diz não entender como abordam tal assunto com "tanta leviandade".

"O Benfica é um clube ganhador, que forma e que vende. Dizem que o Benfica não pode ser negócio, tem de ser vitórias. Se não houver negócio nada temos, não há infraestruturas, não há formação, não há nada, é impossível. Impressionante como pessoas abordam com uma leviandade desta natureza, não sabem o que dizem, onde andam, o que é que se passa. Parece que para ser presidente do Benfica tem de se ser gestor ou político. Não, o Benfica já teve muitos homens com a quarta classe, e eu tenho a quarta classe. Mas são os benfiquistas que votam", acrescentou.

As eleições do Benfica estão marcadas para 30 de outubro e, além de Luís Filipe Vieira e do já anunciado candidato João Noronha Lopes, também Bruno Costa Carvalho, Rui Gomes da Silva e Francisco Benítez manifestaram a intenção de se candidatarem.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG